Dia do Catequista

Reflexões de Dom Orani João Tempesta, arcebispo do Rio de Janeiro

| 899 visitas

RIO DE JANEIRO, quarta-feira, 29 de agosto de 2012 (ZENIT.org) - Nesta última semana do mês vocacional o tema de nossa oração é pela vocação para os ministérios e serviços na comunidade. Neste último domingo de agosto se comemora também o Dia do Catequista.

Nestes tempos o trabalho catequético sem se aprofundado ficando bem claro que, após o primeiro anúncio existe a necessidade do aprofundamento da fé. Temos necessidade da iniciação cristã para que a fé faça parte da vida de nosso povo. O chamado para vivenciarmos o “ano da fé” feito pelo Papa Bento XVI a partir do próximo mês de Outubro deve nos questionar sobre essa missão.

Embora a grande missão cristão leigo seja a sua presença testemunhal de Cristo nos ambientes da sociedade secular, a presença dos vários ministérios e serviços dentro da Igreja têm sido de importância primordial. E nesse sentido, a vocação e missão do catequista.

Quero me dirigir a vocês catequistas neste dia tão especial, em que se comemora o Dia Nacional do Catequista, para dizer-lhes da importância de seu trabalho na Igreja de Jesus Cristo, essa missão tão nobre de ajudar nossas crianças, adolescentes, jovens ou adultos, a crescerem e amadurecerem na fé.

Ser catequista é colaborar com a graça de Deus e com a pessoa, para que ela assuma seu sim a Deus, e avance rumo à maturidade na fé, na esperança e no amor. Ser catequista é uma vocação, um chamado de Deus, é um dom recebido para anunciar uma pessoa, Jesus Cristo, Filho do Deus vivo.

A catequese deve assumir as angústias e as esperanças de nosso tempo, para dar às pessoas a possibilidade de um crescimento pleno e maduro diante da salvação integral em Jesus Cristo. A pessoa é a primeira responsável pelo próprio crescimento interior, ou seja, por como deve responder ao chamado divino. A consciência desta responsabilidade deverá impulsionar o catequista a dar uma resposta ativa e criativa, comprometendo-se e assumindo todas as responsabilidades do processo da própria vida. O catequista opera em comunhão, a serviço e com a ajuda da comunidade eclesial. De maneira especial a nossa saudação para o primeiro catequista da Paróquia que é o Pároco que, com sua equipe catequética desempenha importante missão na formação do povo de Deus.

Portanto, também a comunidade é chamada a colaborar na formação de seus catequistas, assegurando-lhes, especialmente, um ambiente positivo e fervoroso, acolhendo-os pelo que são e oferecendo-lhes a devida colaboração. “Cada tema catequético que se comunica deve instruir, em primeiro lugar, a fé do próprio catequista. Em verdade, alguém catequiza os outros catequizando antes a si mesmo” (DGC, 239).

Agradeço-lhe imensamente a sua dedicação, seu amor a esta missão de conduzir a Jesus, “caminho verdade e vida” (Jo 14,6), os seus catequizandos. Que esta missão seja cumprida primeiramente pelo testemunho, e depois pelo anuncio explícito do Evangelho, pois a Fé cristã é, antes de tudo, adesão à pessoa de Jesus Cristo e ao seu Evangelho, acolhida do dom gratuito que vem de Deus. Essa experiência é comunicada pelo ser, saber e saber fazer em comunidade. O ser e o saber do catequista sustentam-se numa espiritualidade da gratuidade, da confiança, da entrega, da certeza de que o Senhor está sempre presente e é fiel.

Queridos (as) catequistas, que a experiência do encontro com Jesus Cristo seja a força motivadora capaz de lhe trazer o encantamento por esse fascinante caminho de discipulado, cheio de desafios que os (as) fazem crescer e acabam gerando profundas alegrias.

Queridos (as) Catequistas, nesse dia acolha o meu abraço de gratidão e de toda a Comunidade Arquidiocesana do Rio de Janeiro, pela sua atuação na educação da fé de crianças, adolescentes, jovens e adultos. Em sua ação se traduz de uma forma única e original a vocação da Igreja, que é Mãe e que cuida maternalmente dos filhos que gerou na fé pela ação do Espírito, no Sacramento do Batismo.

Parabéns! Que a força da Palavra de Deus, continue suscitando-lhe a fé e o compromisso missionário!

          Que dos Céus sejam derramadas as inúmeras bênçãos sobre vocês catequistas e suas famílias e que seus trabalhos sejam fecundos para o crescimento do Reino de Deus.

† Orani João Tempesta, O. Cist.

  Arcebispo Metropolitano de São Sebastião do Rio de Janeiro, RJ