Diálogo entre católicos e anglicanos entra na terceira fase

ARCIC se reúne a partir de hoje no mosteiro de Bose (Itália)

| 1618 visitas

MAGNANO, terça-feira, 17 de maio de 2011 (ZENIT.org) - A Comissão Internacional Anglicano-Católica (ARCIC) está reunida desde hoje no mosteiro italiano de Bose, entrando, assim, na terceira fase do diálogo entre ambas as confissões.

A ARCIC III debaterá sobre "A Igreja como comunhão local e universal" e "como, na comunhão, a Igreja local e universal chega a discernir o ensinamento ético correto", segundo informa o próprio mosteiro de Bose.

A comissão está composta por 18 membros (10 anglicanos e 8 católicos) e é presidida por Dom Bernard Longley, arcebispo de Birmingham (por parte católica), e por Dom David Moxon, da diocese anglicana de Nova Zelândia.

Dom Longley explicou, em uma entrevista divulgada hoje pela agência ICN (Independet Catholic News), que a ARCIC III constitui a terceira fase do diálogo entre a Comunhão Anglicana e a Igreja Católica.

A ARCIC III surgiu do encontro entre o Papa Bento XVI e o arcebispo Rowan Williams em 2009, quando ambos expressaram seu desejo de continuar o diálogo.

Segundo Dom Longley, ambos pediram à Comissão uma reflexão "sobre a natureza da Igreja, assim como é entendida por anglicanos e católicos, e uma consideração sobre a forma como a Igreja chega a um ensinamento autorizado, especialmente em questões morais".

Diálogo difícil

O diálogo entre anglicanos e católicos começou oficialmente em 1966, proposto por Paulo VI e pelo arcebispo da Cantuária, Michael Ramsey. Após uma fase preparatória, constituiu-se a Comissão conjunta (ARCIC), em 1968.

A primeira fase do diálogo (ARCIC I) durou de 1970 a 1981, dirigida pelo bispo anglicano Henry McAdoo e pelo católico Alan Clark. Nessa fase, falou-se sobre doutrina eucarística, autoridade e ministério ordenado, chegando à declaração conjunta de Windsor.

A segunda fase (ARCIC II) começou em 1983 e durou até este ano, liderada pelos bispos anglicanos Mark Santer, Frank Griswold e Peter Carnley, e pelos bispos católicos Cormac Murphy O'Connor e Alexander Joseph Brunett.

No entanto, o diálogo oficial foi suspenso pelo Papa João Paulo II em 2003, após a consagração episcopal de Gene Robinson, um homossexual que mantinha uma relação carnal. Posteriormente, as dificuldades aumentaram, com a aprovação da ordenação de mulheres, especialmente para cargos episcopais.

Outro dos acontecimentos sobressalentes dessa segunda fase foi a publicação, por parte do Papa Bento XVI, da constituição apostólica Anglicanorum coetibus, em 9 de novembro de 2009.

A respeito disso, Dom Longley reconheceu que o clima desta terceira Comissão "é muito diferente dos anteriores, ainda que o fim último deva ser o mesmo".

"Certamente, devemos enfrentar os obstáculos que tornam este caminho muito mais difícil. Esta fase da ARCIC reconhecerá o impacto das ações de algumas províncias anglicanas, que voltaram a colocar em discussão o tema da natureza da comunhão na Igreja", comentou.

"Esperamos que a ARCIC III possa contribuir para resolver alguns dos temas que parecem inabordáveis atualmente", concluiu.

(Inma Álvarez)