Diferentes tipos de pregação

Como melhorar a pregação sagrada: coluna do Pe. Antonio Rivero, L.C., professor de Teologia e Oratória no seminário Mater Ecclesiae de São Paulo

São Paulo, (Zenit.org) Pe. Antonio Rivero, L.C. | 2214 visitas

Depois de vermos a figura do pregador, vejamos agora os diferentes tipos de pregação sagrada.

Veremos os seguintes tipos de pregação:
Homilia.
Palestra ou discurso explicativo.
Palestra ou discurso persuasivo.
Palestra ou discurso emotivo.
Palestra ou discurso demonstrativo.
Reflexão evangélica diante de Cristo Eucaristia.
Meditação num dia de retiro espiritual.
Pregação de exercícios espirituais.
Pregações circunstanciais: batismo, casamento, exéquias, festa, brinde.
Tema apologético.
Panegírico.
Congresso.
Rádio.
Televisão.
Para começar, digamos que em toda pregação deveríamos seguir este esquema:

Primeiro, uma introdução ou exórdio. Isto é, um começo atraente, original, com alguma anedota, estatística, um fato, um acontecimento, um evento... que capte a atenção dos ouvintes, e sempre relacionado logicamente com a ideia ou tema que será tratado.

Segundo, um desenvolvimento das ideias. Temos que oferecer uma só ideia, para não causar uma indigestão nos ouvintes com muitas ideias inconexas. Ideia desenvolvida em dois ou três aspectos claros, lógicos e estruturados. Ideia expressa com força, convicção, entusiasmo, originalidade, imaginação, vivacidade. Uma imagem ou metáfora pode ajudar muito para explicar essa ideia que estamos comentando. Usar uma linguagem concreta que toque a vida e o coração dos ouvintes. Ser sempre positivo e motivador. Com uma citação de um Santo Padre ou de um santo da Igreja, para dar peso a essa ideia.

E, finalmente, uma conclusão ou peroração, que resume em poucas palavras o discurso e a pregação. Terminemos invocando à Virgem Santíssima para que nos ajude na vivência desse tema tratado.

E agora vamos começar com os tipos de pregação.

HOMILIA

Finalidade da homilia: levar a mensagem bíblica da liturgia desse dia para a vida dos ouvintes para que toque as suas vidas e se convertam, ou melhorem a sua vida espiritual.

Como preparar uma homilia:

Parte-se dos textos bíblicos da liturgia, tirando uma só ideia para os meus ouvintes: por exemplo, a conversão, a esperança, a alegria, a oração, etc... Mas, uma só ideia.

Depois essa ideia é desenvolvida em dois ou três aspectos claros, lógicos e estruturados, tirados dos textos bíblicos dessa missa. Também é bom que essa ideia esteja apoiada em alguma citação dos Santos Padres que comentem essa ideia e que dará peso à nossa homilia. Citar os Santos Padres é subir em ombros de gigantes.

Mais tarde, tentemos trazer essa mensagem divina para a vida concreta dos ouvintes: vida familiar, laboral, profissional, estudantil... O citar um fato da vida de um santo com relação à essa ideia que estou comentando seria excelente, pois os santos nos incentivam a viver essas verdades.

Tipos de homilias:

Está, primeiramente, a homilia evangelizadora que desperta e incrementa a fé do ouvinte. Temos também a homilia catequética, que aprofunda a fé à luz da história da salvação nos diferentes períodos litúrgicos. E claro que também há homilias proféticas que provocam uma resposta de conversão ao plano de Deus desde os textos bíblicos. Está a homilia mistagógica que explica esse sacramento que está sendo celebrado (confirmação, batismo, casamento, unção dos enfermos, ordem sacerdotal, etc...) para que o valorizem e o amem mais e melhor. E finalmente temos a homilia temática: quando o sacerdote fica vários anos numa paróquia, pode aproveitar de segunda a sexta para ter homilias temáticas. Foi o que fiz numa paróquia de Buenos Aires na qual estive doze anos como vigário paroquial. Depois dos primeiros cinco anos em que dava a homilia sobre a liturgia do dia, comecei a fazer homilias temáticas, e tive muito resultado. Temas que duravam até meses: expliquei o credo, os sacramentos, os mandamentos, a oração, a liturgia, Nossa Senhora, a Missa, o terço, as virtudes, os vícios capitais, as obras de misericórdia, etc...

Ofereço-lhes este esquema de uma possível homilia: o tema da liturgia de hoje é a conversão (só um tema). (1) A conversão consiste, seguindo a primeira leitura lida, em abandonar nossos ídolos, infidelidades e pecados (enumerar esses possíveis ídolos das nossas vidas). (2) Essa conversão tem que passar pela cruz, como nos diz São Paulo na segunda leitura (concretizar essa cruz na nossa vida). (3) E finalmente, a conversão irá trazer alguns frutos maravilhosos na vida pessoal, familiar, laboral, como nos fala o Evangelho (listar esses frutos). Santo Agostinho resume este tema da conversão com esta frase ou com este fato de vida. 

O artigo da semana passada pode ser lido clicando aqui

Padre Antonio Rivero tem licenciatura e doutorado em Teologia Espiritual pelo Ateneu Pontifício Regina Apostolorum em Roma. Atualmente exerce seu ministério sacerdotal como professor de teologia e oratória, e diretor espiritual no Seminário Maria Mater Ecclesiae do Brasil.

Caso você queira se comunicar diretamente com o Pe. Antonio Rivero escreva para arivero@legionaries.org  e envie as suas dúvidas e comentários.