Diretores dos santuários europeus se reúnem na Inglaterra

Peregrinações são mais populares que nunca

| 994 visitas

WALSINGHAM, terça-feira, 27 de setembro de 2011 (ZENIT.org) – Os diretores dos santuários de toda a Europa se reuniram em um dos santuários marianos mais antigos da Inglaterra para discutir a presente popularidade dos lugares de peregrinação.

Diretores da Alemanha, Eslovênia, Romênia, Inglaterra, Polônia, França, Irlanda e Portugal estão reunidos até a sexta-feira no Santuário Nacional de Walsingham, no condado de Norfolk. O tema da reunião é “A evangelização e os gestos de piedade popular”.

Este ano, o santuário comemora seu 950º aniversário e teve uma das estações mais concorridas, recebendo aproximadamente 100 mil peregrinos.

O Pe. Alan Williams, diretor do santuário de Walsingham, falou sobre a popularidade em uma declaração enviada a ZENIT: “Muitas pessoas visitam os santuários católicos, ainda que não sejam católicas ou praticantes. Têm um interesse especial pela espiritualidade e estão dispostas a viajar como parte da sua busca”.

“Nossa tarefa, como diretores de santuários, é fazer que esta experiência seja tão completa e satisfatória quanto seja possível, e é precisamente isso que discutiremos esta semana, assim como compartilhar notícias e informação.”

Dado o caráter ecumênico de Walsingham, que acolhe os dois santuários, o católico e o anglicano, o bispo Lindsay Urwin, administrador do santuário anglicano, se unirá à conferência. Os delegados rezarão vésperas na catedral anglicana de Norwich.

A reunião está organizada por Dom Jacques Perrier, de Lourdes, França.

Em 1061, Richeldis de Faverches construiu em Walsingham uma réplica da Casa Santa de Nazaré, dizendo que Nossa Senhora apareceu lá. Em 1538, o santuário foi suprimido, as estátuas queimadas e lançadas ao rio Tâmisa; tudo parecia perdido. Depois de séculos de ruína, os católicos voltaram em 1897, em uma peregrinação formal a Slipper Chapel, que se tornou um santuário nacional da Inglaterra em 1934.

Um crescente número de anglicanos quis realizar sua própria peregrinação a Walsingham, e um santuário anglicano se estabeleceu inicialmente na igreja de Santa Maria antes de trasladar-se a uma nova casa, em 1931.

O povoado também acolhe capelas ortodoxas e metodistas.