Disco de Plácido Domingo inspirado nos poemas de João Paulo II

«Amor infinito», apresentado nesta sexta-feira pelo tenor no Vaticano

| 1460 visitas

Por Carmen Elena Villa

CIDADE DO VATICANO, sexta-feira, 28 de novembro de 2008 (ZENIT.org).- Uma poesia «incrível, profunda e complexa»: foi assim que o tenor espanhol Plácido Domingo qualificou os escritos de João Paulo II, musicalizados no disco «Amor Infinito», ao apresentá-lo nesta sexta-feira em uma coletiva de imprensa na Santa Sé.

O disco compreende oito poemas traduzidos ao italiano, um ao espanhol e um ao inglês. Alguns são interpretados em dueto com artistas como Andrea Bocelli, Josh Groban, o coro «Los Angeles Children's», Catherine Jenkis e Vanessa Williams. A orquestração está a cargo de Jorge Calandrelli. Trata-se do maior projeto musical da Livraria Editora Vaticana». 

Assim nasceu a idéia

Um concerto pela paz realizado no porto de Ancora, na Itália, em abril de 2003, no qual Plácido Domingo cantou uma oração pela paz escrita por João Paulo II, foi o fato que o inspirou a começar esta iniciativa. 

«Foi a última vez que vi João Paulo II. Eu lhe disse: ‘Eu gostaria de cantar com a sua poesia”. E ele me respondeu: ‘Por que não?’», revelou o tenor. 

Domingo assegurou que enquanto fazia a seleção de poemas, descobriu que, ainda que a maioria deles tocasse temas espirituais, preferiu escolher os que tinham a ver com temas como a liberdade, o amor e a família. 

Confessou assim que este sonho, que começou como um «projeto mais espiritual, se converteu depois em um projeto mais artístico». 

«O Papa nos fez entender que era um homem, um artista. Foi um ator, um escritor, ou seja, uma pessoa normal», assegurou o cantor. 

Plácido Domingo considera que ainda que «o Papa não tem necessidade de ser mais conhecido», era necessário dar a conhecer «esta parte verdadeiramente importante da sua vida», porque «não são muitas as pessoas que a conhecem». 

O tenor esteve várias vezes perto do Papa. «Levo no coração o momento no qual o vi com as crianças no México, quando esteve na Basílica de Guadalupe. Ver como as acolhia, parecia um anjo, com uma enorme ternura e paciência, falando em espanhol, catando com elas... Isso certamente me tocou». 

O primeiro de uma série 

«Amor Infinito» é o primeiro CD de um projeto que prevê a publicação de novos álbuns que serão realizados com outros artistas e com novos textos tomados de outras poesias de João Paulo II. Em janeiro se publicará «Amor Infinito» em espanhol e em versão internacional. Plácido Domingo o promoverá com dez concertos em todo o mundo. 

O artista assegurou que parte do dinheiro arrecadado com as vendas do disco será destinada à promoção de obras sociais.