Dois cardeais e 400 refugiados e desabrigados

Quatrocentos refugiados e pessoas desabrigadas participaram do almoço organizado pela Associação Italiana Mensageiros da Paz e assistiram a Santa Missa, celebrada pelos cardeais Jean-Louis Tauran e Santos Abril y Castello

Roma, (Zenit.org) Redacao | 328 visitas

O Cardeal Jean-Louis Tauran, Proto-Diácono do Colégio Cardinalício, e o Cardeal Santos Abril y Castello, Arcebispo da Basílica de Santa Maria Maior presidiram hoje, sexta-feira, 20 de dezembro o ágape de Natal da Associação Italiana Mensageiros da Paz junto ao “Centro de Estudos Superiores” dos Legionários de Cristo e o Ateneu Pontifício Regina Apostolorum em Roma.

Quatrocentos refugiados e sem-teto participaram da Santa Missa e do almoço organizado pela Associação Italiana Mensageiros da Paz.

Após a Santa Missa, o evento continuou com o almoço de Natal, na sede do Ateneu Pontifício Regina Apostolorum, disponibilizado pelo Reitor, Pe. Jesús Villagrasa , LC.

A Associação italiana Mensageiros da Paz italiano aceitou o convite do Papa Francisco para ir ao encontro dos “últimos” e, graças também ao apoio decisivo da Banca Popular de Bari, em sinergia com o Centro Astalli, a Associação Binário 95 e a Comunidade de Santo Egígio estendeu o convite a cerca de 400 refugiados e desabrigados.

Carabinieres, Polícia fiscal e Polícia colocaram a disposição 10 veículos para levar os comensais à sede do Ateneu Pontifício Regina Apostolorum.

Estiveram presentes, entre outros, o Ministro da Integração Social Keinge, o Assessor das Políticas Sociais da Cidade de Roma, Rita Cutini, e várias autoridades civis e militares, juntamente com o fundador da Associação “Mensageiros da Paz”, Padre Angel Garcia.

A Associação, nascida na Espanha em 1962 por iniciativa do Padre Angel Garcia - um apóstolo dos nossos tempos - é uma grande família, presente em mais de 40 países em todo o mundo.

Estes são os números: 51.150 crianças e jovens passaram por vários lares adotivos e mesas sociais, 11.700 pessoas anciãs assistidas, 4.200 voluntários distribuídos em diferentes países, 3.900 empregados dos quais 92 % são mulheres, mais de oito milhões de chamadas suportadas através do Telefone Dourado para aliviar a solidão dos anciãos, 31.500 colaboradores que se comprometem pessoalmente com o seu tempo e a sua dedicação em atividades e projetos.

Na Itália, a Associação está presente com o Telefone Dourado que trabalha para dar apoio aos anciãos e às pessoas sozinhas e a cada ano é normal organizar um almoço de Natal para favorecer a familiarização entre os assistidos oferecendo-lhe alguma hora de serenidade e diversão.

(Trad.TS)