Dom Aquila: como a Igreja deve exercer sua autoridade?

Convida sacerdotes a dizerem a verdade apesar da impopularidade

| 1092 visitas

FILADÉLFIA, quarta-feira, 23 de março de 2011 (ZENIT.org) - O bispo de Fargo, Dakota do Norte (EUA), exortou os sacerdotes a imitarem o exercício da autoridade de Jesus e a não terem medo de corrigir os outros no serviço à verdade.

Dom Samuel Aquila lançou este apelo na última sexta-feira, na Filadélfia, durante o discurso de abertura do 10º Simpósio anual sobre a espiritualidade e identidade dos sacerdotes diocesanos, que foi patrocinado pelo Instituto de Formação de Sacerdotes e pelo Seminário São Carlos Borromeu.

"Desde o Concílio Vaticano II, tanto o mundo como a Igreja vivem tempos difíceis, em que a autoridade é questionada e o seu exercício se torna uma tarefa difícil", disse o prelado.

Observou que "hoje há ceticismo, dúvidas, dissidências e desafios que agem contra o exercício da autoridade".

"Dentro da Igreja, isto é particularmente difícil, já que a cultura secular mina qualquer autoridade atribuída a Deus e faz do homem um deus", reconheceu o bispo.

"Ainda que estejamos no mundo - continuou ele -, não somos do mundo, somos de Cristo; e a autoridade deve ser exercida como Jesus a exerceu: ao serviço do Pai, da verdade e daqueles que estão sob nossos cuidados."

Comunhão com Cristo

Ele ressaltou que isso deve ser feito "em uma profunda comunhão interior com Cristo", que significa "pôr de lado opiniões pessoais e olhar com os olhos e o coração de Cristo".

"Nós, bispos e sacerdotes, como ato de amorosa obediência a Cristo, devemos voltar ao pleno exercício da autoridade de Cristo, testemunhada no Evangelho", disse o bispo.

E acrescentou: "Se não usarmos esta autoridade, hesitarmos em exercê-la ou a colocarmos em dúvida, então isso só nos levará a deixar nas mãos do pai da mentira as mentes e corações dos fiéis, e estes continuarão se movendo nos caminhos do homem, não nos de Deus".

"Jesus é o pastor que nos ensina, como bispos, sacerdotes e futuros sacerdotes, como se deve viver a sua autoridade pastoral, que Ele e o Espírito Santo nos outorgam no dia da nossa ordenação", recordou Dom Aquila.

"Escutando a voz de Jesus - disse o prelado -, observamos que no interior da autoridade estão a obediência e o amor."

Formação no seminário

Dom Aquila recomendou especial atenção à "formação do coração dos seminaristas", para "ajudá-los a receber nos seus corações os desejos de Jesus, e também prepará-los para receber, em obediência, a autoridade que Cristo lhes dará no dia da sua ordenação".

O bispo destacou quatro maneiras práticas para que os seminaristas tornem seu coração receptivo aos desejos de Jesus: ‘lectio divina', a escola de Nazaré, o sacramento da Reconciliação e a celebração diária da Eucaristia.

"O seminarista, tendo os desejos de Jesus, sente-se chamado a desejar doar-se totalmente ao Pai e à Igreja", disse ele.

E conclui: "A longo prazo, viver a autoridade pastoral de Jesus, em obediência amorosa, nos levará à Cruz, como levou o próprio Cristo, por nosso amor do Pai com o coração de Jesus".

Texto completo: www.fargodiocese.org/bishop/Homilies/GoodShepherdIPF2011.pdf