Dom Filipe assume o Mosteiro de São Bento no Rio de Janeiro

| 1211 visitas

RIO DE JANEIRO, segunda-feira, 3 de dezembro de 2012 (ZENIT.org) - Dom Filipe da Silva, 50 anos, é o novo abade da Abadia de Nossa Senhora do Monserrate do Rio de Janeiro (Mosteiro de São Bento), informou à ZENIT a assessoria de imprensa da arquidiocese.

Presidida pelo abade-presidente da Congregação Beneditina do Brasil, de Salvador (BA), Dom Emanuel d’Able do Amaral, a celebração de entronização foi realizada na manhã de sábado, 1º de dezembro, na Igreja abacial do Mosteiro de São Bento.

Entre os presentes, o arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani João Tempesta, e o então prior administrador, Dom Henrique de Gouvêa Coelho, que governou o Mosteiro desde a sua vacância, em 7 de agosto de 2010. 

Fez parte do rito de posse, o beijo no crucifixo, a profissão de fé, o juramento de fidelidade e o recebimento da mitra e do báculo. Ainda, a leitura do decreto de nomeação, como 87º na sucessão abacial, assinado em 3 de novembro, pelo cardeal João Braz de Aviz, prefeito da Congregação para os Institutos de  Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica, com sede no Vaticano. 

Perfil


Nos últimos seis anos, desde o dia 22 de agosto de 2006, Dom Filipe exercia o oficio de abade do Mosteiro de São Bento, em Olinda, no Estado de Pernambuco, além de ser o primeiro assistente do abade presidente da Congregação Beneditina do Brasil. 

Nascidoem Rio Largo, Alagoas, a 5 de junho de 1962, foi batizado com o nome de José Cláudio da Silva. Técnico em agropecuária e formadoem Ciências Sócias, ingressou em 1988 como postulante no Mosteiro de São Bento, no Rio de Janeiro, emitindo os primeiros votos em 8 de dezembro de 1990.  

Depois de formar-se em filosofia e teologia pela Escola Teológica da Congregação Beneditina do Brasil, foi ordenado sacerdote por Dom Clemente Isnard, bispo emérito de Nova Friburgo (RJ), no dia 27 de dezembro de 1997. 

No Mosteiro do Rio de Janeiro, onde ingressou e viveu boa parte de sua vida monástica, Dom Filipe desempenhou diversas funções, como vice-mestre de noviços, capelão e professor do Colégio e da Faculdade de São Bento, hospedeiro, mestre dos professores trienais e, notadamente a de subprior (de fevereiro do ano 2000 até sua eleição como abade).