Dom Fisichella: o que quer dizer “nova evangelização”?

Sessão de dois dias de estudo sobre os horizontes da temática

| 1401 visitas

CIDADE DO VATICANO, terça-feira, 15 de março de 2011 (ZENIT.org) - Para poder realizar a tarefa que o Papa Bento XVI confiou ao novo Conselho Pontifício para a Promoção da Nova Evangelização, que ele instituiu no último dia 21 de setembro de 2010, foram organizados dois dias de estudo, no último fim de semana, sobre os horizontes históricos, epistemológicos e pastorais da nova evangelização.

Em um artigo publicado no L'Osservatore Romano, o presidente do novo dicastério, Dom Rino Fisichella, destaca a importância deste encontro e se pergunta o que quer dizer efetivamente "nova evangelização".

O Papa indicou para o novo dicastério "o dever de uma missão a ser desenvolvida com os fiéis que se afastaram da fé ou são indiferentes a ela".

"Nova evangelização, portanto, não é como uma ‘primeira evangelização' nem como uma ‘re-evangelização'."

Como afirmava João Paulo II na exortação apostólica Christifideles laici, refere-se à capacidade de "refazer o tecido cristão das próprias comunidades eclesiais que vivem nesses países e nessas nações".

Ocidente

Segundo Dom Fisichella, o olhar do Papa se dirige, portanto, aos países "que conhecemos como Ocidente, ou de primeiro e segundo mundo, onde o progresso econômico, científico e tecnológico levou a uma crise no próprio sentido de Deus e no valor de sua existência pessoal, vítima do processo de secularização que conduz a viver no mundo ‘etsi deus non daretur'".

"Apesar de que ainda exista em muitas igrejas um profundo sentido religioso, que se expressa em uma vida de fé e de tradições religiosas - reconheceu -, estas não estão acompanhadas de um correspondente apoio profundo da inteligência, capaz de comunicar a riqueza da experiência e do patrimônio da fé, mas frequentemente se comprova uma alergia a estas duas formas e uma passagem às seitas, nas quais sobressaem a emotividade e o fundamentalismo."

Passado e futuro

O Conselho Pontifício para a Promoção da Nova Evangelização foi instituído pelo Papa Bento XVI com a carta apostólica em forma de Motu Propio "Ubicumque et semper", para "oferecer respostas adequadas para que a Igreja inteira, deixando-se regenerar pela força do Espírito Santo, apresente-se ao mundo contemporâneo com vigor missionário, de maneira que se promova uma nova evangelização".

Já o Papa João Paulo havia pedido uma "nova evangelização", pela primeira vez, em 13 de junho de 1979, em Nowa Huta (Polônia), e seu sucessor afirmou esta exigência com seu Motu Propio.

A questão será fundamental também no futuro próximo, já que o Sínodo convocado para outubro de 2012 terá como tema "Nova evangelizatio ad christi anam fidem tradendam".

O debate dos padres sinodais, as proposições que serão formuladas e a exortação apostólica do Santo Padre serão inevitavelmente a bússola para o trabalho do novo conselho pontifício, concluiu Dom Fisichella.