Dom Gil fala da importância da catequese na JMJ

A catequese completa a jornada e é tão importante quanto os eventos centrais

Rio de Janeiro, (Zenit.org) Gabriella Julie | 505 visitas

O arcebispo da arquidiocese de Juiz de Fora, Minas Gerais, pregou nesta quarta (24) a catequese para jovens na Jornada Mundial da Juventude e falou da importância de momentos de formação no evento. Dom Gil Antônio Moreira acredita que a catequese completa a jornada e é tão importante quanto os eventos centrais.

Dom Gil nasceu em Itapecirica da Serra, Minas Gerais, em 1950. Hoje é também membro da Congregação para a Educação Católica, nomeado por Bento XVI em abril de 2007. Atualmente é Bispo Responsável pela Comissão de Bens Culturais da Igreja no Regional Leste II. É também coordenador da Comissão Nacional de Comemorações dos 50 anos do Concílio Vaticano II e Assistente Espiritual Nacional do Terço dos Homens.

ZENIT: Qual a importância da formação na catequese na JMJ?

Dom Gil: A jornada é formada de duas partes. Uma parte que é a catequese, com grupos menores, e depois a outra parte, que são os eventos centrais. Ambos são importantes. Se faltasse a catequese faltaria uma parte muito importante. Este é um momento de estudo de espiritualidade, de retiro espiritual, e que os jovens ouvem a palavra e podem meditar. Nestes três dias eles fazem a experiência de ouvir a palavra e procurar assimilar no seu coração.

Os grandes eventos são celebrativos. Nós celebramos a palavra e agradecemos a Deus. E Ele nos dá a força para que possamos viver essa palavra e comunicar aos outros.

ZENIT: Qual a experiência pessoal em pregar na catequese?

Dom Gil: Para mim é uma grande graça de Deus quando posso falar para o povo. E quando posso falar para os jovens fico mais feliz ainda, porque os jovens são acolhedores. E a gente pode dar um testemunho daquilo que vivemos como jovem.

Hoje estou com 62 anos e me sinto jovem, mas a idade não é idade de jovem. Eu me sinto feliz quando posso falar com os jovens e dar testemunho daquilo que Deus, na sua bondade, trabalhou no meu coração desde a juventude até hoje.

ZENIT: Qual o desafio para vivenciar o que foi pregado nas catequeses?

Dom Gil: O grande desafio é a perseverança. A perseverança é um dom de Deus. A gente pede, mas é também uma resposta do homem. O que a gente espera é que os jovens tenham a coragem de perseverar e nunca abandonar o caminho de Cristo. Esta é a nossa esperança.