Dom João Braz de Aviz: “não é uma promoção, é um serviço”

Arcebispo de Brasília é o novo prefeito da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada

| 2160 visitas

Por Alexandre Ribeiro

SÃO PAULO, quinta-feira, 6 de janeiro de 2011 (ZENIT.org) – O novo prefeito da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica, Dom João Braz de Aviz, arcebispo de Brasília, afirma que acolhe sua nomeação como um serviço à Igreja.

O arcebispo brasileiro, de 63 anos, sucede no cargo da Cúria Romana o cardeal esloveno Franc Rodé, 76, cuja renúncia por razão de idade foi aceita pelo Papa, segundo informou a Santa Sé nessa terça-feira.

“O telefonema comunicando a nomeação foi no dia 14 de dezembro, pelo cardeal Tarcisio Bertone, que me falou da escolha do Papa”, disse Dom João a ZENIT.

“A razão é que o Papa desejava ter mais um brasileiro ligado diretamente ao trabalho no Vaticano. Eu perguntei se não teria problema um bispo não religioso ir trabalhar com os religiosos, mas ele me disse que este não era um problema, não era uma consideração que se fazia na Santa Sé.”

Dom João Braz de Aviz confessa não ter um conhecimento profundo da Congregação, razão pela qual ainda não pôde traçar prioridades. “Eu a visitei no contexto da visita ad limina de novembro passado. No trabalho prático e no contato com os peritos se vai avançando no conhecimento”.

O arcebispo solicitou que possa ficar em Brasília até a metade de fevereiro, antes de se mudar para Roma, para encerrar seus compromissos pastorais na arquidiocese e dar posse a novos presbíteros.

Sobre sua nova missão como prefeito do organismo vaticano, ele destacou a importância da palavra “comunhão”. “Comunhão como princípio importante, é preciso preservar a comunhão”. “Sempre procurei preservar a comunhão, sem omitir o que dizer. As tensões existem por si”.

“A gente tem uma missão completamente de fé. O Papa é Pedro, presença de Cristo, ponto central de unidade da Igreja.”

“A missão é sempre maior do que a gente se sente capaz”. O arcebispo disse que pretende “trabalhar com fé no amor de Deus, confiando em que para cada missão há uma graça particular”.

A nomeação “não é uma promoção, é um serviço, para o qual me disponibilizo para o tempo que for preciso”.

Catarinense

Nascido na cidade de Mafra (Santa Catarina, sul do Brasil), a 24 de abril de 1947, Dom João Braz de Aviz ingressou no Seminário Menor São Pio X, em Assis (São Paulo), com 11 anos.

Em Curitiba, no Seminário Maior Rainha dos Apóstolos, deu início aos seus estudos de Filosofia. Anos mais tarde, em Roma, fez seus estudos teológicos e a especialização em Teologia Dogmática, na Universidade Gregoriana.

Aos 25 anos, foi ordenado sacerdote na catedral de Apucarana (Paraná). Em 1994, aos 47 anos, foi ordenado bispo auxiliar de Vitória (Espírito Santo). Em 1998, tornou-se bispo de Ponta Grossa (Paraná), sendo transferido em 2003 para a arquidiocese de Maringá. 

Após o pedido de renúncia do cardeal José Freire Falcão, em 2004, Dom João nomeado arcebispo de Brasília. 

O arcebispo chefiará o organismo da Santa Sé que se ocupa das Ordens e Congregações Religiosas, com os Institutos seculares, com as Sociedades de Vida Apostólica, com a Vida Eremítica, com as Virgens Consagradas e suas associações e com as novas formas de Vida Consagrada. 

Esta Congregação tem como função própria “promover e regular a prática dos conselhos evangélicos, como é exercida nas formas aprovadas de vida consagrada, e ao mesmo tempo a atividade das Sociedades de vida apostólica em toda a Igreja Latina”, segundo assinala o artigo 105 da Constituição Pastor Bonus.