Dom João Braz de Aviz: um cardeal crescido numa cidadezinha de 8 mil habitantes

Como o Papa João XXIII, a simplicidade da sua vida não tira a grandeza do seu ministério

Brasília, (Zenit.org) Thácio Siqueira | 2729 visitas

Atual Prefeito da Congregação para os Institutos de vida consagrada e as Sociedades de vida apostólica, Dom João Braz de Aviz nasceu numa cidade pouco conhecida, de campesinos, numa família agrícola; até poderíamos dizer que à semelhança do Papa João XXIII, que nasceu em Sotto il Monte na província de Bérgamo, na Itália.

O cardeal brasileiro, começou a sua vida no interior do Estado de Santa Catarina no Brasil, na cidade de Mafra, no dia 24 de abril de 1947, mas quando tinha dois anos, seus pais se mudaram “para o Estado do Paraná, em uma área que, como se dizia naquele tempo, começava a ser ‘colonizada’ - afirmou Dom João em entrevista à revista italiana 30 Giorni[1] - Ali, o meu pai começou a trabalhar como açougueiro”, Trata-se da cidade de Borrazópolis, que segundo o IBGE, atualmente conta com 8 mil habitantes. Já aos sete anos Dom João percebeu a sua vocação sacerdotal.

A experiência dos Focolares foi seu escudo e proteção em momentos em que o idealismo da Teologia da Libertação, de índole marxista, florecia na América Latina. Disse na citada entrevista: “Deus me protegeu assim. A experiência espiritual do Focolares é forte e simples. Já no final dos anos 1960, Chiara Lubich nos convidava a rever o nosso modo de viver, à luz do amor de Deus”.

Por onde passa, Dom João busca a unidade do clero, dos movimentos, dos leigos... organizou o XVI Congresso Eucarístico Nacional em Brasília, no ano de 2010, e deu vida e alimentou muitas iniciativas na capital do País.

Referindo-se aos novos carismas afirmou à revista 30 Giorni: “Eu dizia em Brasília: se vocês, dos carismas maiores, mortificam e anulam os carismas menores porque têm como único critério o de se ampliarem e tomarem mais espaço, isso não é de Deus. Se existe um "carisminha" pequeninho, por exemplo, em uma paróquia, ajudem-no a crescer, em vez de combatê-lo”.

Sobre o perfil do próximo Papa, o cardeal Dom  de Aviz, em entrevista à Agência Clic RBS, nesse mês de fevereiro de 2012 disse que “A necessidade hoje de você ter que conviver com outras culturas, num diálogo constante, porque nenhuma cultura pode se impor às outras; a capacidade de buscar a verdade, testemunhá-la antes de impô-la, isso também passa pela Igreja, porque todas essas coisas nós estamos aprendendo. Com o Evangelho, nós estamos aprendendo a passar de uma cultura mais individualista, para alguns mais secularizada, como é o caso da Europa, para uma cultura mais de diálogo. E isso está muito de acordo com a nossa fé. Então, tudo isso hoje está sendo provado que o papa terá que ter muita capacidade de aprofundar isto.”[2]

Conhecido por amigos, familiares e fieis como um homem  que trata a cada pessoa humana na sua individualidade, disse, referindo-se à Igreja, na homilia do 26 de novembro de 2012, na catedral da cidade Brasília, quando comemorava os 40 anos de sacerdócio, junto com o seu irmão, também sacerdote, Pe. José Amauri de Aviz:  “A Igreja tem vários problemas que devem ser corrigidos. O Santo Padre tem nos lembrado muito isso. Mas, é  a coisa mais bela que nós recebemos do Senhor. A Igreja é a nossa família. A Igreja é o lugar onde eu posso me sentir gente. Onde eu sou amado, onde eu posso amar. A Igreja é o meu lugar de felicidade”[3].

Dom João Braz de Aviz foi bispo de Ponta Grossa (1998-2003), arcebispo de Maringá (2003-2004), arcebispo de Brasília (2004-2011) e desde 2011 é o Prefeito da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e Sociedades de Vida Apostólica. Foi criado e publicado Cardeal por Bento XVI no Concistório do dia 18 de fevereiro de 2012, da Diaconia de Santa Helena fora Porta Prenestina.

[1]  A tradução é de Moisés Sbardelotto em  http://www.ihu.unisinos.br/noticias/45170-as-pretensoes-dos-homens-e-a-paciencia-de-deus-entrevista-com-dom-joao-braz-de-aviz

[2] http://anoticia.clicrbs.com.br/sc/geral/noticia/2013/02/especulacoes-sao-naturais-diz-dom-joao-braz-de-aviz-sobre-sucessao-do-papa-4042481.html

[3] http://www.zenit.org/pt/articles/a-igreja-e-a-coisa-mais-bela-que-nos-recebemos-do-senhor-a-igreja-e-a-nossa-familia