Dom José Traquina é ordenado bispo auxiliar do Patriarcado de Lisboa

Celebração aconteceu neste domingo, 1º de junho, na Solenidade da Ascenção do Senhor

Brasília, (Zenit.org) Lilian da Paz | 402 visitas

O Patriarcado de Lisboa ganhou mais um bispo auxiliar neste domingo, 1º de maio, dia da Ascenção do Senhor. Dom José Augusto Traquina de Maria, 60 anos de idade, recebeu a sagração episcopal das mãos de dom Manuel Clemente, patriarca de Lisboa e presidente da Conferência Episcopal Portuguesa.  

Agora, dom José se junta a dom Joaquim Mendes e dom Nuno Brás, também bispos auxiliares do Patriarcado.  Presidida por dom Manuel Clemente, a celebração aconteceu no Mosteiro dos Jerónimos e teve como bispos co-ordenantes dom António Francisco dos Santos, bispo do Porto, e dom Manuel Felício, bispo da Guarda. Na homilia, o patriarca destacou a solenidade da Ascenção do Senhor para exortar dom José:

Como discípulos de Cristo, o nosso critério é outro, e apenas este, que lhe ouviremos sempre: ‘Quem entre vós quiser fazer-se grande, seja o vosso servo’ (Mt 20, 27). E ainda: ‘O maior de entre vós será o vosso servo. Quem se exaltar será humilhado e quem se humilhar será exaltado’ (Mt 23, 11-12). É esta a ascensão que celebramos hoje, atingido cume e fonte inesgotável daquele Reino de que a cruz foi o trono e em que os espinhos floriram em magnífica coroa.

Dom Manoel Clemente também refletiu sobre a primeira leitura, retirada do livro dos Atos dos Apóstolos, em que Jesus promete a vinda do Paráclito:

Mudando de lugar para acrescentar significados, o Evangelho coloca os discípulos na Galileia, onde tinham começado há uns três anos, para recomeçarem agora, para toda a terra e para o tempo todo: ‘Ide e ensinai todas as nações, batizando-as em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, ensinando-as a cumprir tudo o que vos mandei’. Numa companhia garantida: ‘Eu estou sempre convosco até ao fim dos tempos’.

Assim particularmente contigo, caríssimo dom José Traquina, que o mesmo Espírito agregará de seguida à sucessão apostólica daqueles onze: Não saberás tu, nem saberemos nós, o que só a Deus compete, princípio e fim de tudo e de todos... Mas saberás o quê e saberás com quem. Saberás do Reino, no acontecer eclesial de cada dia, que também por ti e tão centralmente sucederá. Saberás com quem, na intimidade de Cristo que tudo garante, aprofunda e alarga.

Brasão e lema

O brasão de armas de dom José Traquina foi criado pelo cônego João Marcos, que exerce a direção espiritual no Seminário dos Olivais, em Moscavides. O símbolo pode ser visto aqui e remete à pregação, unidade, eleição, confiança, pureza, orientação, batismo e fecundidade espiritual.

Já o lema episcopal escolhido por dom José foi inspirado na Exortação Apostólica Evangelii Gaudium, do Papa Francisco, com as palavras Alegrai-vos sempre no Senhor, da Carta aos Filipenses (4, 4).

Biografia

Dom José Traquina nasceu no dia 21 de janeiro de 1954, no concelho de Alcobaça. Na adolescência trabalhou como comerciário. Sentiu o chamado para o sacerdócio e, em 1976, entrou para o seminário para obter formação acadêmica com licenciatura em Teologia e Mestrado em Teologia Pastoral.

A ordenação sacerdotal veio em 30 de junho de 1985, aos 31 anos de idade, em celebração presidida por dom António Ribeiro, também no Mosteiro dos Jerónimos. Foi formador do Seminário de Almada e exerceu ministério em diversas paróquias de Lisboa.

Em outubro de 2002 foi nomeado membro do Secretariado de Ação Pastoral do Patriarcado de Lisboa e, em 8 de dezembro de 2003, Cônego da Sé Patriarcal desta mesma cidade. Em dezembro de 2012 foi nomeado para o Conselho Presbiteral, onde foi também eleito coordenador.

A nomeação episcopal, feita Papa Francisco, aconteceu no dia 17 de abril deste ano. O título lhe conferiu a atribuição de bispo de Lugura, uma antiga diocese do norte de África.