Dor do Papa pelas vítimas do terremoto na Nova Zelândia

Estimativa é de que 300 pessoas ainda estão debaixo dos escombros

| 1020 visitas

CIDADE DO VATICANO, quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011 (ZENIT.org) - Bento XVI, por meio de um telegrama enviado pelo cardeal Tarcisio Bertone, secretário de Estado, a Dom Barry Philip Jones, bispo de Christchurch, demonstrou sua proximidade aos atingidos pelo terremoto que afetou a Nova Zelândia na segunda-feira. O sismo deixou 75 mortos até o momento.

O Papa – afirma a mensagem –, “entristeceu-se ao tomar conhecimento da repentina devastação e perda de vidas na cidade de Christchurch por causa do recente terremoto”.

O pontífice expressou “sua proximidade espiritual a todos que foram atingidos e envia suas condolências aos que choram pela perda de seus entes queridos”.

O Papa assegura aos habitantes de Christchurch suas “orações por todos que estão trabalhando urgentemente para resgatar e auxiliar as vítimas e os feridos”.

O terremoto, o pior no país nos últimos 80 anos, alcançou 6,3 graus na escala Richter. A cidade foi devastada. As duas catedrais, a católica e a anglicana, foram parcialmente destruídas.

Segundo a Agência Fides, da Congregação para a Evangelização dos Povos, ainda restam cerca de 300 pessoas debaixo dos escombros, sendo a maioria turistas.