É necessário interpretar as Sagradas Escrituras de acordo com a sua natureza

Mensagem de Bento XVI para a Assembléia Plenária da Comissão Pontifícia Bíblica

| 1016 visitas

CIDADE DO VATICANO, sexta-feira, 20 de abril de 2012 (ZENIT.org) - Por ocasião da Assembléia Plenária anual da Comissão Pontifícia Bíblica, começada no dia 16 de abril e encerrada nesta sexta-feira, na Domus Sanctae Martae, no Vaticano, o papa Bento XVI enviou uma mensagem aos Cardeais William Levada e Prósper Grech, respectivamente presidente e secretário, e a todos os membros da mesma Comissão.

O tema tratado neste ano ", Inspiração e Verdade da Bíblia" foi definida pelo Papa como "fundamental para uma correta hermenêutica da mensagem bíblica". Sendo o tema da inspiração "crucial para a abordagem adequada às Sagradas Escrituras," a "origem de Deus" destas últimas continua sendo a sua "característica mais importante e valiosa", observa o Santo Padre.

O pontífice cita uma passagem da sua exortação pós-sinodal Verbum Domini, na qual afirmava que "os padres sinodais sublinharam que à questão da inspiração também está ligado a questão da verdade das Escrituras. Por isso, um aprofundamento da dinâmica da inspiração levará sem dúvida também a uma mairo compreensão da verdade contida nos livros sagrados "(n. 19).

No entanto, a Palavra de Deus "não se reduz ao escrito, mas também após a morte do último apóstolo continua “sendo anunciada e interpretada pela vida Tradição da Igreja”. Por esta razão, a Palavra não fica como “um depósito inerte dentro da igreja, mas se torna regra suprema da sua fé e potência de vida.”

A tradição que tem origem nos apóstolos – acrescenta o Papa – progride com a assistência do Espírito Santo e cresce com a reflexão e o estudo dos crentes, com a experiência pessoal de vida espiritual e a pregação dos bispos "(cf. Verbum Dei, 8,21).

Além disso, os textos bíblicos devem "ser interpretados de acordo com a sua natureza": ou seja, é "essencial e fundamental para a vida e a missão da Igreja". Daí a exortação do Santo Padre para a Pontifícia Comissão Bíblica de se comprometer nesse sentido, oferecendo “sua específica e qualificada contribuição para este necessário aprofundamento".