É urgente uma CPI do Aborto para investigar a existência de Interesses internacionais promovendo o Aborto no Brasil

Entrevista com Paulo Fernando Vice-Presidente do movimento Pro vida família

Brasília, (Zenit.org) Thácio Siqueira | 828 visitas

Na terça-feira, 4 de junho de 2013, a cidade de Brasília será palco da 6ª Marcha Nacional da Cidadania Pela Vida. A Marcha é promovida pelo Movimento Nacional da Cidadania pela Vida – Brasil sem Aborto.

O objetivo da Marcha é freiar a aprovação do aborto no Brasil. A Reforma do Código Penal brasileiro, o projeto de lei nº 236/2012 que tramita no Senado Federal, propõe a legalização do aborto até a 12ª Semana de Gestação.

A 6ª Marcha terá concentração, a partir das 15h, no gramado atrás da Torre de TV, no Eixo Monumental em Brasília.

Publicamos a seguir uma entrevista que Paulo Fernando Melo, católico, Vice-Presidente do PROVIDAFAMILIA e assessor parlamentar concedeu a ZENIT:

Contato providafamilia@hotmail.com

***

Zenit -  Por que a Marcha pela Vida na Esplanada dos Ministérios?

Paulo Fernando - O local escolhido pelos organizadores(O Movimento Nacional Cidadania pela Vida - Brasil sem Aborto) de certo deve-se ao fato de ser a região central da cidade e pelo grande fluxo de pessoas e carros que lá transitam e principalmente pelo final da Marcha que será em frente ao Congresso Nacional.Vale a pena ressaltar que outras marchas foram realizadas em São Paulo, Rio de Janeiro , Fortaleza e Goiânia.

Zenit -  Há alguma possibilidade de mudar a cultura do Aborto?

Paulo Fernando - Na verdade sempre é possível propagar a cultura da vida, assegurando o direito à vida desde à concepção até a morte natural. O Congresso Nacional e a sociedade brasileira há muito querem e precisam saber o porquê por tanta pressão pela legalização do aborto no Brasil, para isso surge a necessidade urgente de instalar-se a CPI do Aborto para investigar a existência de interesses e financiamentos internacionais para promover a legalização do aborto no Brasil, pela Fundação MacArthur – John D.and Catherine T. MacArthur Foundation, conforme relatório “The Population and Reproductive Health Program in Brazil: Lessons Learned   1990-2002”, e outras.

Zenit -  Se o problema está nos Lobbys e no governo, o que o povo pode realmente fazer?

Paulo Fernando - Primeiro inteirar-se do assunto, estudando o problema do aborto principalmente os interesses internacionais que pressionam nossa sociedade e o próprio Poder Legislativo para que legalizem o aborto, mesmo conscientes de que esta, decididamente não é a vontade do povo a quem os congressistas representam.Devemos trazer à luz por que motivo setores minoritários da população são tão maciçamente financiados por organizações estrangeiras para executarem uma agenda que é estabelecida fora do Brasil, sem nenhuma participação democrática, dentro de uma lógica que não nos é apresentada.É o lobby do imperialismo contraceptivo imposto ao nosso Brasil.A população deve ser cônscia do seu papel, principalmente escolhendo representantes que defendam a vida e a família.

Zenit -  Essa Marcha não é uma espécie de Placebo populista cristão?

Paulo Fernando - Na verdade trata-se de uma manifestação pelo livre exercício da cidadania e do direito constitucional da liberdade de expressão, já que a grande maioria da população brasileira é tradicionalmente cristã.

Zenit -  Quem participa da Marcha? Só católicos?

Paulo Fernando - Diversas instituições apóiam  a Marcha como a CNBB , a FEB Federação Espírita Brasileira, o FENASP  Fórum Evangélico de Ação Social e Política,a Estação da Luz, a ADIRA e outrasentidades e diversas denominações religiosas que participam do evento.Um  ateu pode participar por ser contra o aborto por outros motivos que não sejam filosófico ou religioso.

Zenit -  Sobre o Estatuto do Nascituro...

Paulo Fernando - Trata-se do PL 478/07 de autoria do Deputado Luis Bassuma e Miguel Martini  reconhecendo desde a concepção a dignidade e natureza humanas do nascituro conferindo-se ao mesmo plena proteção jurídica , reconhecendo os direitos do bebê que está por nascer, em especial o direito à vida,à saúde,ao desenvolvimento e aos demais direitos da personalidade previstos na legislação civil.Maiores detalhes acesse o link http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=345103

Zenit - Os Pró-Vidas da Itália se unificaram no último dia 12 de Maio. Como está o movimento no Brasil? Pode-se dizer que há uma unificação nas estratégias de trabalho?

Paulo Fernando -O Movimento Pró-Vida no Brasil a cada dia que passa aumenta as suas atividades bem como a  adesão de um número maior de pessoas principalmente de jovens .Cada nação segue a sua realidade e as suas características de trabalho, como o Brasil é um pais continental temos inúmeros movimentos pró-vida atuando em diferentes campos de atuação o que sempre nos une é o espírito de defender a vida e a família no aspecto do voluntariado , à serviço da Igreja e do Evangelho.