Eclesiologia de comunhão

Simpósio Teológico Internacional

| 965 visitas

ROMA, sexta-feira, 8 de junho de 2012 (ZENIT.org) - Neste dia 6 de junho começou em Maynooth, na Irlanda, o Simpósio Teológico Internacional de preparação para o 50º Congresso Eucarístico Internacional de Dublin, que acontece de 10 a 17 de junho.

Na abertura do evento, o arcebispo Diarmuid Martin recordou a importância do Concílio Vaticano II para a vida da Igreja do século XX: “Por causa da renovação que ele trouxe, os seus ensinamentos ainda têm que ser aprofundados e desenvolvidos, compreendidos e assimilados pela vida da Igreja. Seus efeitos influenciaram também a vida da Igreja na Irlanda, que recebeu as reformas de maneira positiva”.

Por sua vez, o cardeal Marc Ouellet, prefeito da Congregação para os Bispos e legado pontifício para o Congresso Eucarístico Internacional, falou da eclesiologia de comunhão cinquenta anos depois da abertura do Concílio Vaticano II. O purpurado explicou que comunhão e Igreja se relacionam com a Eucaristia, com a família, com o sacerdócio, com o ecumenismo e com a evangelização: “O Concílio Vaticano II é como o sopro de Pentecostes, que ilumina e dá vida para todos estes aspectos”, afirmou o cardeal, fazendo votos de que o Espírito de Deus dirija a renovação na Igreja como um todo e na Igreja da Irlanda em particular.

O cardeal Oscar Rodríguez Maradiaga, arcebispo de Tegucigalpa, afirmou que a Eucaristia e a missão são os dois elementos principais dos encontros deste simpósio internacional teológico e do próprio Congresso Eucarístico.

“A instituição da Eucaristia é o anúncio da Boa Nova. É a missão que cada ser humano terá que desempenhar durante a sua peregrinação terrena e constitui as bases da vida do cristão de ontem, de hoje e de amanhã", encerrou.

Tradução ZENIT português