Ecologia: na Pacem in Terris, "o bem comum universal"

No contexto da universalidade baseada no princípio da dignidade de cada pessoa humana, o projeto "Igreja ecológica" propõe o desenvolvimento sustentável das paróquias romanas

Roma, (Zenit.org) Paolo Pastore | 476 visitas

A Igreja e a comunidade internacional sempre compartilharam muitos pontos de vista sobre o desenvolvimento sustentável. Este é o contexto do "Evangelho da paz", pregado por João XXIII na sua encíclica Pacem in Terris, de 11 de abril de 1963.

Na ocasião, o papa reafirmou o valor permanente de um compromisso corajoso com a paz e, acima de tudo, com o "bem comum universal", como "fator de agregação e vínculo unitário para os povos da terra". Desde a época da Conferência do Rio sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, a Santa Sé pôde expor, perante os diplomatas de todo o mundo, não apenas as suas propostas de diretrizes sobre o meio ambiente, mas também o fato de que a palavra ambiente postula a existência de um centro, em torno do qual o próprio ambiente existe.

Este centro é o ser humano, a única criatura que não só é capaz de ser consciente de si mesma e do seu entorno, como também de explorar o mundo circunstante para utilizá-lo com a sua inteligência.

O desenvolvimento sustentável é um conceito muito amplo, que requer uma atualização da destinação universal dos bens, da solidariedade e do bem comum. O "bem comum universal" é também o princípio mais adequado para integrar elementos básicos, a saber: a economia, a ética e o desenvolvimento sustentável.

Nesta universalidade, pode-se reconhecer uma raiz ética fundamentada no princípio da eminente dignidade de cada pessoa humana, de modo a "construir um mundo em que cada homem, sem exclusões de etnia, religião, nacionalidade, possa viver uma vida plenamente humana, livre da servidão imposta por outros homens e por uma natureza não suficientemente controlada".

A este respeito, o primeiro princípio da Declaração do Rio afirma que "os seres humanos estão no centro das preocupações com o desenvolvimento sustentável. Eles têm direito a uma vida saudável e produtiva, em harmonia com a natureza".

Este é o contexto do projeto "Igreja ecológica", construído entre o Cesab (Centro de Pesquisas em Ciências Ambientais e Biotecnológicas), o Ateneu Pontifício Regina Apostolorum e o programa de pós-graduação em Ciências da Comunicação da Universidade Lumsa, na Itália.

O projeto se fundamenta em uma pesquisa no campo da comunicação, nas diversas paróquias de Roma, para sensibilizar a cultura a respeito do desenvolvimento sustentável. O projeto também prevê auditorias energéticas a ser feitas em diversos locais da diocese.

* Pesquisador CESAB