Efetivo de segurança da JMJ Rio2013 terá mais de 20 mil homens

As informações foram divulgadas em coletiva à imprensa nesta quinta-feira, 18

Rio de Janeiro, (Zenit.org) | 269 visitas

O Centro de Coordenação de Defesa de Área do Rio de Janeiro (CCDA/RJ), que pertence ao Ministério da Defesa, e a Secretaria de Segurança Pública, serão os responsáveis pela defesa e segurança da Jornada Mundial da Juventude (JMJ Rio2013). O efetivo total será de mais de 20 mil homens, 10.200 das Forças Armadas e 10 mil entre Polícia Militar e Federal. As informações foram divulgadas em coletiva à imprensa nesta quinta-feira, 18.

O CCDA cuidará de Guaratiba e a Polícia Militar, de Copacabana, além do trabalho em toda a cidade. Somente dentro do Campus do Fidei, serão 800 homens do Exército, 300 homens da Força Nacional de Segurança Pública, 100 homens do Batalhão de Guarda, totalizando 1.200 homens fardados distribuídos nos lotes. Ao todo serão sete mil agentes de segurança na região de Guaratiba. As ações de segurança ficarão como legado para a cidade.

O Exército colocará 400 militares na área do altar no Campus Fidei. Armas letais e não letais não serão usadas pelos soldados dentro do Campus Fidei, mas o efetivo estará armado no raio de 4km da região.

De acordo com o Coordenador do CCDA/RJ, General José Alberto da Costa Abreu, o Exército está preparado para diversos tipos de ocorrência, mas lembra que todos podem ajudar. “Confiamos na colaboração da população respeitando a pessoa do Papa”, disse o General.

Pontos de proteção

Haverá 14 pontos de proteção do Exército em relação à estrutura estratégica do Rio de Janeiro de abastecimento de água, energia, telecomunicações e transporte. As tropas ficarão dentro dos quartéis e somente tomarão as ruas em caso de extrema necessidade.

Serão revistadas somente as pessoas que ficarem na área do palco, que também terá a segurança da Polícia Federal. Caso haja algum problema maior, o Exército tem poder de prisão. O Campus Fidei conta com 94 torres de observação para melhor visão dos soldados.

As ações de defesa das Forças Armadas serão para Força de Contingência, Defesa de Estruturas Estratégicas, Defesa Aeroespacial e Controle de Espaço Aéreo, Defesa Cibernética, Defesa da área Marítima e Fluvial, Defesa Química, Biológica, Radiológica e Nuclear, Prevenção, Repressão e Combate ao Terrorismo, Emprego de Helicópteros, Cooperação nas Fronteiras, e Fiscalização de Explosivos.

Fonte: Rio2013