Eleição do abade geral dos Cistercienses

Dom Mauro-Giuseppe Lepori enfrenta diversos desafios

| 1269 visitas

ROMA, segunda-feira, 13 de setembro de 2010 (ZENIT.org) - O abade de Hauterive, na Suíça, Dom Mauro-Giuseppe Lepori, foi nomeado abade geral da Ordem Cisterciense (de observância comum) no dia 2 de setembro, pelo capítulo geral dos abades e abadessas de todas as casas da ordem, reunidos em Rocca di Papa, próximo de Roma.

Dom Mauro sucede o catalão Mauro-Daniel Esteva i Alsina, no cargo de 1995 até agora, que se retira por razões de idade.

Nascido em Cannobio (Tessin) em 1959, o novo superior geral dos cistercienses entrou na Abadia de Hauterive em 1984. Pronunciou seus primeiros votos monásticos em 1986 e fez sua profissão solene em 1989.

Ordenado sacerdote em 10 de junho de 1990, o Pe. Maurio ocupou o cargo de professor de noviços até sua eleição como 59º abade de Hauterive, em 16 de maio de 1994. Recebeu a benção abacial em 29 de junho de 1994.

Licenciado em Filosofia e em Teologia pela Universidade de Friburgo (Suíça), foi reconhecido pela publicação de várias obras e artigos traduzidos para diversos idiomas, assim como por suas palestras dirigidas a públicos diversos, seus retiros, seu talento para aquarela e por diversos outros serviços prestados à ordem e à diocese.

Como superior geral da ordem, explica o prior da abadia de Hauterive, Henri-Marie Couette, o Pe. Mauro terá a tarefa de "garantir a unidade da ordem e concretizar melhor sua comunhão visível", mas também de incentivar um "encorajamento espiritual", informou o jornal Libération.

Além do trabalho administrativo da direção da ordem, o novo abade terá de trabalhar na reunificação dos ramos cistercienses, da "comum observância", à qual pertence a abadia de Hauteriva, e a ordem cisterciense da "estrita observância" (trapistas).

Segundo dados de 2009, a ordem cisterciense da "comum observância" inclui 122 casas e mais de 1.900 monges e monjas no mundo, enquanto a ordem cisterciense da "estrita observância" conta com 175 casas e cerca de 3.600 religiosos, entre homens e mulheres.

Em 1998, por ocasião dos 900 anos desde que o abade Roberto de Molesmes se instalou em Cîteaux (que deu origem a ordem do Cister), o Papa João Paulo II lançou um convite à reunificação dos ramos cistercienses.

O novo superior geral terá outro importante desafio: o envelhecimento das comunidades e a falta de vocações na Europa.

Como é tradição, Dom Mauro assumiu o cargo imediatamente e se une à Casa-Generalícia, em Roma.