Eleições em Portugal: abstenção preocupa, diz bispo

De 9,62 milhões de eleitores, 4,49 milhões votaram

| 1110 visitas

ROMA, segunda-feira, 24 de janeiro de 2011 (ZENIT.org) – O bispo de Beja, Dom António Vitalino, afirmou-se preocupado com o alto índice de abstenção nas eleições presidenciais desse domingo em Portugal.

O atual presidente, Aníbal Cavaco Silva, foi eleito com 52,91% dos votos para um segundo mandato de cinco anos. O índice de abstenção nas eleições atingiu 53% do eleitorado.

Segundo informa Agência Ecclesia, na sua nota semanal para Rádio Pax, divulgada hoje, Dom António Vitalino considera que a “falta de clareza e de verdade nas afirmações e posições dos candidatos levou à vitória da abstenção”.

“Embora eu seja partidário do dever cívico de votar, mesmo que não nos revejamos inteiramente em nenhum dos candidatos, por estes e outros motivos compreendo o desinteresse da maioria dos meus concidadãos. Tenho pena que assim seja”, afirmou.

Os números oficiais das eleições presidenciais revelam que em 9,62 milhões de eleitores, 4,49 milhões de pessoas votaram. 274 mil anularam ou deixaram em branco.

Dom António Vitalino espera que se tirem “as ilações deste ato eleitoral”, incluindo “os cristãos e a hierarquia da Igreja”.

“Todos temos obrigação de colaborar para o bem do país, apontando as injustiças e a corrupção de quem se serve do poder para proveito próprio”, disse.