Em audiência colorida pelos guarda-chuvas, o papa fala sobre a vocação religiosa

Os religiosos são servidores e os casais constroem a família sobre a rocha da Palavra de Deus, diz Francisco

Cidade do Vaticano, (Zenit.org) Rocio Lancho García | 520 visitas

Uma Praça de São Pedro repleta recebeu o Santo Padre sob a chuva leve com que Roma amanheceu hoje. Apesar da primavera que acaba de começar no hemisfério Norte, as temperaturas ainda estavam baixas na Cidade Eterna, mas não impediram os milhares de fiéis de se dirigir até a praça para escutar e saudar o papa Francisco.

Durante mais de meia hora, o papa passeou a bordo do papamóvel descoberto, cumprimentando e intercambiando breves palavras com os peregrinos. Os mais felizardos, sempre as crianças, eram levados até os braços do Santo Padre para receber a sua bênção. À medida que a audiência avançava, a chuva começou a ficar mais forte, deixando a praça inteira coberta de coloridos guarda-chuvas. Como já fez em outras ocasiões, Francisco agradeceu aos fiéis pela valentia de permanecer na praça apesar da chuva.

Entre as pessoas presentes em São Pedro, havia um grupo de imigrantes latino-americanos que residem nos EUA, como ZENIT adiantou ontem. A delegação entregou ao papa Francisco uma carta em que solicita a sua mediação para que o presidente Barack Obama interrompa as extradições de pessoas sem documentos do território norte-americano, enquanto o congresso do país estuda uma reforma migratória. O padre Marco Mercado, encarregado pelo cardeal de Chicago, Francis Eugene George, de prestar atendimento à comunidade hispana, explicou em entrevista concedida ontem que "os imigrantes deportáveis são 2,2 milhões, de um total de 11,5 milhões de pessoas em situação irregular que temos nos Estados Unidos”.

Na audiência desta manhã, o Santo Padre deu prosseguimento à série de catequeses dedicadas aos sacramentos. Depois de falar do batismo, da comunhão, da confirmação, da confissão e da unção de enfermos, Francisco refletiu hoje sobre a ordem sacerdotal.

No resumo ao final da catequese, o Santo Padre disse:

"A catequese de hoje se concentrou no sacramento da ordem, que compreende o episcopado, o presbiterado e o diaconato. O que significa isto, concretamente, na vida dos ordenados? Quem é ordenado sacerdote é colocado à cabeça da comunidade como servidor, conforme o exemplo e o ensinamento de Jesus. O bispo, o sacerdote e o diácono estão a serviço da comunidade. Se eles não fazem este serviço, quer dizer que alguma coisa não vai bem. O sacramento os ajuda também a amar apaixonadamente a Igreja, dedicando todo o seu ser e todo o seu amor à comunidade, que eles não devem considerar como sua propriedade. Nem o bispo é proprietário da sua diocese, nem o sacerdote é proprietário da sua paróquia, nem o diácono da sua diaconia. Elas são propriedade de nosso Senhor, a quem eles têm que servir. E, por último, eles devem procurar reavivar o dom recebido no sacramento, através da oração. Quando não se alimenta o ministério ordenado com a oração, com a escuta da Palavra, com a celebração cotidiana da Eucaristia e com o recebimento frequente do sacramento da penitência, acaba-se perdendo o sentido autêntico do próprio serviço e a alegria que brota de uma profunda comunhão com nosso Senhor".

Logo em seguida, o papa saudou os peregrinos vindos dos países latino-americanos e os convidou a rezar pelos ministros ordenados da Igreja, em particular por aqueles que se encontram em dificuldades ou que precisam recuperar a força e o frescor da sua vocação. “Peçamos também que não faltem nunca em nossas comunidades pastores autênticos, de acordo com o Coração de Cristo”.

Após as saudações nos diversos idiomas, o Santo Padre dedicou um pensamento especial aos jovens, aos doentes e aos recém-casados, conforme já é tradição. "Celebramos ontem a Solenidade da Anunciação do Senhor à Virgem Maria. Queridos jovens, particularmente os escoteiros aqui presentes, estejam à escuta da vontade de Deus, como Maria! Queridos doentes, não se desanimem nos momentos mais difíceis, sabendo que nosso Senhor não nos dá uma cruz maior do que as nossas forças! E vocês, queridos recém-casados, construam a sua vida matrimonial sobre a rocha firme da Palavra de Deus!".