Em Belarus, cardeal Bertone pede a jovens testemunho de fé

Termina a visita do secretário de Estado ao país eslavo

| 435 visitas

MINSK, terça-feira, 24 de junho de 2008 (ZENIT.org).- O cardeal Tarcisio Bertone, secretário de Estado de Bento XVI, concluiu no domingo passado sua visita a Belarus, visitando a comunidade católica da arquidiocese de Minsk-Mohilev. Um dos momentos mais importantes foi o encontro com jovens católicos na paróquia salesiana da cidade.

Durante a vigília, o cardeal Bertone, segundo publica o jornal L’Osservatore Romano, pediu que os jovens «nadem contra a corrente» para dar testemunho de sua fé.

É necessário anunciar o Evangelho «com um estilo de vida humilde, mas decidido, atento aos demais e ao serviço, sincero e respeitoso, não violento, construtivo, capaz de renunciar ao próprio interesse para fazer o bem triunfar, valente em dar testemunho do nome de Deus, de seu autêntico rosto, defendendo-o de imagens falsas e instrumentalizações.

«Jesus não falava como um funcionário, como alguém que prega por tradição ou por ofício – afirmou. Ele pregava com autoridade; em suas palavras se advertia a presença de Deus, a força da verdade.»

Convidou os jovens a não se contentarem com uma fé «feita só de palavras, uma religião formal», mas a ir ao «substancial», a «um amor de fé e de obras», e os animou a considerarem a própria vocação ao matrimônio ou à vida consagrada.

O secretário de Estado teve também encontros com os bispos católicos locais, após uma Eucaristia que presidiu na catedral de Minsk, na qual participaram, entre outros, o arcebispo e o bispo auxiliar da diocese, Dom Tadeusz Kondrusiewicz e Dom Antoni Dziemianko, assim como o cardeal Kazimierz Swiatek e o núncio apostólico, Martin Vidovic.

Durante a homilia na catedral, o cardeal Bertone renovou a saudação da Santa Sé à Igreja Ortodoxa e às autoridades civis. Convidou os católicos a «deixarem de lado desânimos e medos», pois «é hora de aumentar a pregação, a catequese, a formação dos jovens e a presença nos meios de comunicação».

Diálogo ecumênico

Com estes encontros, o cardeal concluiu uma visita oficial de cinco dias a Belarus, na qual o enviado do Papa quis dar um novo impulso à Igreja Católica do país no diálogo ecumênico com a Igreja Ortodoxa. Um diálogo às vezes difícil após a queda do regime comunista e após a aprovação da Lei sobre Religiões (2002), como reconheceu durante o encontro tido com os bispos católicos, em 18 de junho passado. Ele teve também um encontro com a comunidade greco-católica do país, que celebra a liturgia oriental, como os ortodoxos, mas mantendo a fidelidade a Roma.

O cardeal Bertone convidou então os católicos a «deixarem de lado os preconceitos» e a considerarem o diálogo ecumênico como «o instrumento mais adequado para estabelecer um intercâmbio fraterno dirigido a resolver os conflitos com espírito de justiça, caridade e perdão».