Emergência sócio-educativa na República Dominicana

Após a tempestade Noel, explicam a grave situação de algumas ONGs

| 1150 visitas

MADRI, sexta-feira, 9 de novembro de 2007 (ZENIT.org).- A ONG espanhola InteRed, patrocinada pela Instituição Teresiana, realizou ontem um chamado urgente em favor dos projetos que esta organização mantém com outras organizações não-governamentais e entidades na República Dominicana, após a passagem da tempestade tropical Noel.



O país caribenho vive uma grave situação de emergência nos lugares pelos quais passou a tempestade.

Segundo informa a ONG espanhola, são três as organizações sócias de InteRed (Centro Cultural Poveda, CEPAE e MUDHA) que se viram afetadas.

«Nestes momentos – afirma InteRed – estão tentando dar resposta à grave situação humanitária que está afetando as populações das comunidades nas quais se vinham desenvolvendo seus projetos: nos Municípios de Cambita e Villa Altagracia (sendo especialmente grave a situação dos Bateyes de Basim, 43, 46 e Lechería) na província de San Cristóbal e nos Bateyes de Santo Domingo Norte (San Joaquin e Matamón).»

Com o fim de colaborar com a reconstrução dos âmbitos deste trabalho de tipo social e educativo, a Fundação InteRed abriu uma conta de emergência na Espanha, no Banco Santander: 0049-0001-54-2210022331, para que todas aquelas pessoas que desejem, possam dar sua contribuição ao longo do mês de novembro.

O Noel deixou mais de cem mortos na República Dominicana e no fronteiriço país Haiti, segundo dados oferecidos em 2 de novembro passado pela ONG citada. Na República Dominicana, o número de falecidos alcançou 73; aumentou de 27 a 43 o de desaparecidos, 64.096 pessoas foram deslocadas e 1.526 resgatadas.

Também 16.024 moradias foram danificadas e cresceu o número de comunidades sem comunicação, que agora são 62, enquanto 35 pontes e estradas se mantêm afetadas pelas fortes precipitações. Contudo, as chuvas começaram a diminuir e acalmaram os dominicanos, em particular os habitantes de Santo Domingo e da região leste.

Aproximadamente 2.300 famílias estão isoladas na província de Duarte pelas inundações do rio Yuna e atravessam uma situação «extremamente difícil», informa InteRed, pela falta de alimentos e remédios.

As organizações da área associadas à InteRed sofreram perdas materiais, mas não danos pessoais.

A InteRed proporciona a informação enviada desde a República Dominicana por algumas delas.

A organização CEPAE indica que «o Noel causou mortos nos municípios de Cambita, São José de Ocoa e Vila Altagracia, onde o CEPAE executa suas atividades institucionais (...). Agradecemos seu apoio e colaboração nestes momentos de urgência de nossas comunidades do interior».

Por sua parte «Crianças do Caminho» (CC) explica que «graças a Deus, o pessoal que trabalha em «Crianças do Caminho» não sofre danos pessoais, ainda que sim perdas materiais. A equipe de educadores de CC, tanto ontem como hoje, andam pela cidade contatando as crianças, adolescentes e jovens orientando-os sobre refúgios e assistindo-os (...). Agradecemos, novamente, a equipe de InterRed pela sua presença».

Dessa forma, MUDHA indica que «o pessoal do departamento está bem, mas nossos familiares, promotores e os comunicativos do projeto estão em situação de ‘emergência’, sofreram grandes danos, perderam todos seus bens e nestes momentos falta água, alimento e medicamentos (...). Ainda não receberam ajuda do Governo, apesar de que estamos solicitando».

E por último, o «Centro Ponte» informa que «esta situação foi verdadeiramente desastrosa, especialmente na zona leste-sudeste e sul especificamente. Aqui no norte somente tivemos muitas chuvas, graças a Deus não aconteceu nada nesta área».