Encíclica de Paulo VI sobre doutrina social ainda deve ser aplicada

Segundo o porta-voz vaticano, Pe. Federico Lombardi, S.J.

| 749 visitas

CIDADE DO VATICANO, segunda-feira, 26 de novembro de 2007 (ZENIT.org).- A encíclica de Paulo VI «Populorum Progressio», publicada há quarenta anos, sobre desenvolvimento e paz, é ainda atual e sobretudo aplicável, sustenta o porta-voz vaticano.



A este profético documento, o Pe. Federico Lombardi, S.J., dedicou o editorial do último número de «Octava Dies», o informativo semanal do Centro Televisivo Vaticano, do qual é também diretor.

Na semana passada, na verdade, a Assembléia plenária do Pontifício Conselho Justiça e a Paz e o II Congresso mundial dos organismos eclesiais operantes pela justiça e a paz concentraram seus trabalhos sobre a «Populorum Progressio».

O Pe. Lombardi recorda que com esta encíclica Paulo VI lançou em plena guerra fria «um clamor forte pela humanidade, que partia da constatação dramática do desequilíbrio entre os povos».

«A questão social é hoje mundial», afirmava o Papa.

«A breve distância da grande encíclica de João XXIII sobre paz, e do documento do Concílio Vaticano II sobre a Igreja no mundo contemporâneo, Paulo VI demonstrava ainda uma volta à capacidade da Igreja de escolher com lucidez e com grande autoridade moral os mais graves problemas do mundo de hoje e de oferecer um quadro de referimento orgânico no qual enfrentá-los, conjugando fundamento e profunda visão do valor humano e espiritual», destaca o porta-voz vaticano.

«Não faltaram críticas duras da esquerda e da direita, dos marxistas que tinham confiança na luta, e de quem tinha confiança só no capitalismo descontrolado – recorda. Mas muitos compreenderam que aquela proposta de Paulo VI era a via justa, que indicava um desenvolvimento integral pela pessoa e pelos povos, no respeito de sua dignidade, e oferecia verdadeiramente uma esperança pela humanidade do nosso tempo».

«Quarenta anos depois, temos que dizer com realismo que a mensagem produziu muitos frutos, mas não foi suficientemente escutada», sustenta o Pe. Lombardi.

«O desenvolvimento é o novo nome da paz!», afirmava o Papa.

«Pouquíssimos compreenderam, e não porque a paz está distante em tantas partes do mundo. Por muitos aspectos, a «Populorum Progressio» é ainda atual. Seus princípios e os seus motivos são perfeitamente válidos e a esperança os confirmou», afirma o padre jesuíta.

«A nova encíclica de Bento XVI convida à esperança. A grande encíclica de Paulo VI continua a convidar a trabalhar pela construção da esperança dos povos, sobretudo dos pobres da terra», conclui.