Encontrados filmes que revelam ajuda de Pio XII às vítimas da guerra

Afirmações da delegada da Filmoteca Vaticana

| 2760 visitas

Por Jesús Colina

CIDADE DO VATICANO, quarta-feira, 28 de outubro de 2009 (ZENIT.org).- A enorme atividade de ajuda que Pio XII desenvolveu durante a Segunda Guerra Mundial a favor de todas as vítimas, independentemente de sua religião, pode agora ser vista em filmes cinematográficos que foram redescobertos. 

O achado mais surpreendente é a película “Guerra à guerra”, um filme realizado em 1948 por uma produtora italiana, “Orbis”, dirigido por Romolo Marcellini, que também dirigiu “Pastor Angelicus”, de 1942, e Giorgio Simonelli.

O filme foi descoberto na Cineteca Nacional Italiana, em um estado bastante deteriorado, e ao se constatar o caráter extraordinário das imagens, entrou-se em contato com a Filmoteca Vaticana.

A doutora Claudia Di Giovanni, delegada desta Filmoteca, confessou a emoção experimentada quando recebeu o convite da Cineteca para poder ver estas imagens das quais se desconhecia sua existência. 

Seu testemunho foi exposto na assembleia plenária do Conselho Pontifício para as Comunicações Sociais, que o Papa encerrará nesta quinta-feira. 

No documentário, que em algumas passagens apresenta também uma história cinematográfica, podem-se ver “imagens extraordinárias da Segunda Guerra Mundial, particularmente duras, mas sumamente eficazes para sublinhar o drama do conflito”, explica Di Giovanni.

“Com o fundo da guerra, as palavras e obra de Pio XII, em ajuda de todas as vítimas, com as imagens dos refeitórios, criados pelo Papa, e a residência de Castel Gandolfo, aberta aos refugiados”. 

O espectador pode ver como o Papa converteu as grandes salas do palácio apostólico em dormitórios para mulheres e crianças refugiados.

Em outro momento, se vêem as imagens da Praça de São Pedro e da Basílica de São João de Latrão, onde por indicação do Papa se criaram refeitórios para dar de comer à população que atravessava a penúria da guerra.

“O filme é particularmente importante pois representa a tentativa do catolicismo de comunicar através da arte cinematográfica seu ‘não’ à guerra. O filme praticamente não pôde ser distribuído no período pós-bélico, mas é um testemunho fundamental do compromisso do Papa Pio XII a favor da paz”, explica a delegada da Filmoteca Vaticana.

“A restauração do filme foi apresentada no festival de cinema de Veneza, em setembro passado, impressionando tanto a crítica como o público, com um estilo narrativo inspirado no neorrealismo, simples mas eficaz, que não oculta o horror, mas o representa em toda sua realidade mais que explícita, sobretudo se consideramos que se trata de um filme de 1948”, afirma a delegada.

A Filmoteca Vaticana colaborou com a Cineteca Nacional Italiana à restauração do filme, e agora conta com uma cópia para poder projetá-la em circunstâncias não comerciais.

Outros documentos audiovisuais

Mas não é o único testemunho audiovisual que narra a ajuda de Pio XII aos necessitados, entre os quais havia também judeus.

A Filmoteca Vaticana recebeu recentemente 70 filmes que documentam a atividade da Pontifícia Obra de Assistência (POA), criada pelo Papa Pio XII para ajudar as vítimas da Segunda Guerra Mundial, informa Claudia di Giovanni.

Foi instituída em 1944 com o nome de Pontifícia Comissão de Assistência aos Refugiados (PCA), logo se chamou POA, e ofereceu seu serviço até 1970, assistindo os pobres, os enfermos, encarcerados e vítimas dos desastres naturais. 

Agora corresponde à Filmoteca Vaticana analisar com detalhe estes filmes e conservá-los para que possam ser um patrimônio da história.