Encontro da pastoral afro-americana e caribenha

Em Guayaquil, Equador

| 949 visitas

GUAYAQUIL, quinta-feira, 19 de julho de 2012 (ZENIT.org) – De 16 a 20 de julho acontece em Guayaquil, no Equador, o XII Encontro de Pastoral Afro-Americana e Caribenha (EPA), com a participação de 250 membros de diversas conferências episcopais do continente americano.

Fazem parte do encontro delegados do Brasil, da Venezuela, da Colômbia, do Equador, do Peru, do México, do Panamá, da Argentina, da Bolívia, do Haiti, da República Dominicana, do Paraguai, do Chile, do Uruguai, da Costa Rica, da Nicarágua, de Honduras, da Guatemala e da Jamaica. Nos eventos, que são organizados pelo Conselho Episcopal Latino-Americano (CELAM), participam também os bispos responsáveis pelas pastorais dedicadas às populações afro-americanas do país.

O encontro tem como objetivos revitalizar os processos de participação da população afro-americana na Igreja e na sociedade, fomentar a unidade e o desenvolvimento humano, social e religioso dos povos da América Latina e do Caribe e continuar o processo de construção de comunidades cristãs negras com identidade própria.

O XII Encontro da Pastoral Afro-Americana foi aberto na catedral metropolitana no último 16 de julho, com missa presidida por dom Antonio Arregui Yarza, arcebispo de Guayaquil e presidente da Conferência Episcopal Equatoriana. Amanhã,20, amissa de encerramento será presidida por dom Giacomo Ottonello, núncio apostólico no Equador, também na catedral, ao meio-dia.

Bento XVI enviou uma mensagem aos participantes do encontro através do secretário de Estado do Vaticano, cardeal Tarcisio Bertone. No texto dirigido a dom Pablo Varela, presidente do Departamento de Educação e Cultura do CELAM, o papa expressa a sua “proximidade e apoio espiritual”. Bento XVI também os incentiva, “nas reflexões, a se aprofundarem nos valores culturais, na história e nas tradições dos afro-americanos, para que a Igreja saiba cada vez mais apresentar Jesus Cristo como a resposta autêntica às perguntas mais profundas do ser humano, deixando-se conduzir pelo impulso do Espírito Santo, que veio fecundar todas as culturas, purificando-as e desenvolvendo os numerosos germes e sementes que o Verbo encarnado plantou em cada uma, orientando-as, assim, pelos caminhos do evangelho”.

Depois de convidar “os senhores bispos e os seus colaboradores a continuar acompanhando essas queridas populações, às vezes marginalizadas e pouco atendidas”, o papa “concede a todos uma especial bênção apostólica”.

(Tradução:ZENIT)