Eparquia ortodoxa russa agradece Ajuda à Igreja que Sofre

| 579 visitas

KÖNIGSTEIN, segunda-feira, 24 de julho de 2006 (ZENIT.org).- O padre Dimitrij Moshkin, secretário do arcebispo Sofronij da Eparquia (diocese) ortodoxa de Kemerovo (sudoeste da Sibéria), agradeceu por seu trabalho a entidade Ajuda à Igreja que Sofre (AIS).



«Desde a fundação de nossa eparquia em 1993 temos recebido um importante apoio de sua Associação», reconheceu o representante ortodoxo russo em sua recente visita à sede internacional de Ajuda à Igreja que Sofre.

A eparquia conta com um seminário no qual 47 sacerdotes receberam sua formação desde 1994, graças ao apoio dessa instituição católica.

«Uma de nossas prioridades é a assistência pastoral que prestamos aos presidiários – revela o sacerdote –. Em cada uma das 29 prisões da eparquia há uma pequena capela ou algum lugar para o culto. Além disso, há disponível literatura espiritual, e com a leitura destes livros muitos prisioneiros encontram o caminho que os leva à Igreja».

Segundo o padre Dimitrij, o trabalho pastoral nos hospitais é outra prioridade da eparquia. «Há novas comunidades de mulheres leigas consagradas, comparáveis aos “institutos seculares” da Igreja católica cujos membros se dedicam a atender aos enfermos, e que sempre são guiadas por sacerdotes».

Fundada em 1947 pelo sacerdote holandês Werenfried van Straaten (1913-2003), a Ajuda à Igreja que Sofre apóia as Igrejas pobres e perseguidas – não só católicas; também de outras denominações cristãs – com a oração, a ajuda pastoral e a assistência material.

A AIS não recebe ajuda oficial da Igreja nem fundos públicos. Mantém sua atividade graças à generosidade de mais de 700 mil benfeitores particulares em todo o mundo.

Tem sua sede central na cidade alemã de Königstein e escritórios nacionais em 17 países.

Maiores informações em www.kirche-in-not.org.