Escolas do mundo inteiro, unidas numa rede educativa internacional

Projeto é impulsionado pela Pontifícia Academia das Ciências

Roma, (Zenit.org) Rocio Lancho García | 475 visitas

Uma rede educativa internacional que promove os valores da solidariedade e da fraternidade para construir uma sociedade mais humana: esta é a definição do projeto "Scholas Occurrentes", apresentado por dom Marcelo Sánchez Sorondo, chanceler da Pontifícia Academia das Ciências.

Uma nova rede educativa internacional, com escolas de diversos graus, em prol de uma sociedade inclusiva, que garanta o necessário a cada um para desenvolver o seu projeto vital de acordo com a própria cultura, com as próprias convicções, com os valores universais transculturais e no respeito pelo meio ambiente. Considerando os antecedentes dos projetos “Escola de Vizinhos” e “Escolas Irmãs”, iniciativas promovidas pelo papa Francisco quando era arcebispo de Buenos Aires, a Pontifícia Academia das Ciências propõe esta rede gratuita de alcance mundial convidando escolas de todos os níveis educativos a participar.

O site do projeto pode ser visitado em http://scholassoccurrentes.org/home.htm

Quem apresentou a iniciativa à imprensa foram os próprios responsáveis por ela: o professor José Maria del Corral, o professor Enrique Palmeyro e dom Marcelo Sánchez Sorondo, acompanhados por Giancarlo Abete, presidente da Federação Italiana de Futebol,  Germán Leche, presidente da delegação argentina, Claudio Cesare Prandelli, técnico da seleção italiana de futebol, Alejandro Sabela, técnico da Argentina, Lionel Andrés Messi, capitão da seleção argentina, e Gianluigi Buffon, capitão da equipe italiana.

O professor Palmeyro enfatizou a forte crise mundial, em que "milhares de crianças morrem de fome". E usando a expressão do papa, destacou que esta iniciativa pretende "fazer bagunça neste mundo". Mas não uma bagunça que é sinônimo "de descontrole, ou sem sentido", mas uma sacudida "no individualismo e no consumismo", que promova os valores da solidariedade. É um projeto em que escolas de todos os tipos e de todo o mundo se integram para compartilhar os seus projetos pedagógicos.

O professor Del Corral confirmou que "a ideia é transformar essa bagunça numa ‘proposta de vida’. Como professor, eu represento muitos educadores que se sentem sozinhos, sabendo que a sua missão não apenas é cada vez mais difícil, como às vezes é até impossível". Mas, diante desta difícil situação, continuou Del Corral, "não podemos chutar a bola para fora, porque são os jovens que estão disputando o título nesta partida".

No fim da apresentação do projeto, os dois capitães fizeram juntos o “clique inicial” que pôs em rede as duas primeiras escolas, uma argentina e uma italiana.