Espanha: bispos denunciam que lei do aborto é ''gravemente injusta''

Conferência Episcopal apresenta Campanha pela Vida 2013 com o lema Este sou eu: humano desde o princípio

Madri, (Zenit.org) Ivan de Vargas | 518 visitas

A Conferência Episcopal Espanhola (CEE) apresentou esta manhã a Campanha pela Vida 2013, que tem como lema "Este sou eu: humano desde o princípio". A presença da campanha nas principais redes sociais terá amplo destaque: no Facebook, os usuários serão convidados a trocar seu avatar por uma ecografia durante o mês de abril; no Twitter, será difundida a hashtag #estesoyyo [este sou eu].

A CEE também criou o hot site www.estesoyyo.com, ligado ao site www.conferenciaepiscopal.es, para pôr à disposição todos os materiais, incluindo uma lista de instituições que dão apoio à vida, em particular às mulheres grávidas, além de um vídeo testemunhal de dois minutos.

Os bispos espanhóis devem lançar ainda um concurso para pessoas de todas as partes do mundo: elas deverão gravar um vídeo em que contam, em 59 segundos, quem são "desde o princípio". O vídeo deve ser enviado para www.estesoyyo.com até 30 de abril. Um júri selecionará os melhores trabalhos, que serão publicados no site. Da seleção sairão os três ganhadores, cujos prêmios serão um tablet, um e-book e diversos pacotes de livros.

Viver, o primeiro direito humano

Por ocasião da Jornada pela Vida 2013, celebrada nesta segunda-feira, a Subcomissão Episcopal Espanhola de Família e Vida publicou a mensagem "Humano desde o princípio", em que denuncia que a legislação atual na Espanha sobre o aborto é "gravemente injusta" e precisa ser modificada "urgentemente".

"Viver é o primeiro dos direitos humanos, raiz e condição de todos os outros. O direito à vida se mostra com ainda mais força quanto mais inocente ou indefeso é o seu titular, como no caso de um filho no ventre materno".

Para os bispos espanhóis, a tutela do bem fundamental da vida humana e do direito de viver é "a base da segurança jurídica e da justa convivência" e "faz parte essencial das obrigações da autoridade", que tem de "acatar a demanda presente na sociedade". "O direito à vida não é uma concessão do Estado, mas um direito anterior ao próprio Estado. Este tem sempre a obrigação de tutelá-lo", acrescentam, convidando os cristãos a não favorecer com o voto os programas políticos e as leis contrárias à fé e à moral.

Os prelados explicam também que "a vida humana é sagrada" porque "só Deus é Senhor da vida desde o seu começo até o seu fim", e "ninguém, em nenhuma circunstância, pode se atribuir o direito de matar de modo direto um ser humano inocente".

Para a Jornada pela Vida, serão distribuídos 12.000 exemplares do comunicado dos bispos, 50.000 folhetos informativos, 15.300 cartazes, 100.000 santinhos com uma oração e 15.000 livretos litúrgicos. Durante as próximas semanas, de 8 a 21 de abril, o cartaz da campanha será exibido em 1.300 outdoors de toda a Espanha.