Espanha: entra em vigor lei “incompatível com a reta consciência moral”

Conferência Episcopal do país adverte em nota

| 1511 visitas

MADRI, segunda-feira, 5 de julho de 2010 (ZENIT.org) - Diante da entrada em vigor, nesta segunda-feira, da nova legislação espanhola referente ao aborto, a Conferência Episcopal do país divulgou uma nota na qual sublinha que a lei é "incompatível com a reta consciência moral" e retoma declarações precedente sobre o assunto.

Hoje entra em vigor a nova legislação sobre o aborto - afirma a nota. É preciso lembrar que se trata de uma lei objetivamente incompatível com a reta consciência moral - em particular a católica - visto que, do ponto de vista ético, piora a legislação vigente", por razões "fundamentais".

Primeiramente, sustenta o texto, "porque considera a eliminação da vida dos concebidos um direito da gestante durante as primeiras 14 semanas de gestação, deixando sem qualquer proteção estas vidas humanas, justamente no período em que se verifica o maior número de abortos".

Em segundo lugar, "porque estabelece um conceito de saúde tão ambíguo que equivale à introdução das assim chamadas indicações sociais e eugenésicas na justificação legal do aborto".

Em terceiro, prossegue, a nota, "porque impõe ao sistema educacional obrigatório a ideologia abortista e de gênero".

Os bispos concluem sua declaração com as palavras: "Falamos em nome daqueles que têm o direito de nascer e ser acolhidos por seus pais com amor; falamos em favor das mães, que têm o direito de receber o apoio social e estatal necessário para evitar que se tornem vítimas do aborto; falamos em favor da liberdade dos pais e das escolas que com eles colaboram para dar aos filhos uma formação afetiva e sexual com base em convicções morais que os preparem para ser pais e para acolher o dom da vida; falamos em favor de uma sociedade que tem o direito de contar com leis justas, que não confundam a injustiça com o direito."

Mais informações em: www.conferenciaepiscopal.es.