Espanha: partido socialista inclui lei de “morte digna”

Um projeto do atual governo de José Luis Rodríguez Zapatero

| 838 visitas

MADRI, quinta-feira, 6 de outubro de 2001 (ZENIT.org) – A Conferência Política do Partido Socialista Obrero Español (PSOE) confirmou, no último domingo, que incluirá em seu programa eleitoral o projeto de “Lei reguladora dos direitos da pessoa diante do processo final da vida”, promovido pelo atual governo Rodríguez Zapatero.

É “uma norma – explica Santiago Díez, porta-voz da campanha Vida Digna, da associação Profesionales por la Ética – que abre as portas para a eutanásia, ao obrigar o profissional a cumprir a vontade do paciente ou dos seus familiares (ainda que se trate de atuações inadequadas ou contraindicadas); define a sedação paliativa como direito sem limites (incluindo a possibilidade de aplicar sedações desproporcionais ou irregulares); e outorga ao médico a possibilidade de decidir sobre a vida da pessoa 'que tiver dificuldades para compreender a informação que lhe é dada', sem necessidade de consultar familiares ou a outros profissionais”.

Em definitiva, explica Díez, “a incorporação deste projeto de lei no programa eleitoral do PSOE é a uma aposta nas práticas eutanásicas e no radicalismo ideológico; e expressa a renúncia de Rubalcaba [candidato socialista às próximas eleições gerais] a uma política de qualidade na atenção ao final da vida, como solicitaram os profissionais dedicados aos cuidados paliativos”.

Estes últimos, na opinião de Profesionales por la Ética, “deveriam constituir a prioridade de qualquer governo, assim como o direito dos pacientes a que ninguém, nem familiares, nem médicos, ponham fim à sua vida antes do tempo”.

Mais informação sobre este tema em: http://www.profesionalesetica.org/wp-content/uploads/downloads/2011/03/Informe-Ley-de-Muerte-Digna-o-Eutanasia-Encubierta-PPE.pdf.