"Está acontecendo uma revolução antropológica que desorienta o homem"

Suíça: começa reunião geral anual dos presidentes das conferências episcopais da Europa

| 908 visitas

ROMA, terça-feira, 25 de setembro de 2012 (ZENIT.org) - No centro da reflexão dos presidentes das conferências episcopais da Europa, estão “Os desafios do nosso tempo: aspectos sociais e espirituais”.

Este tema será apresentado através de três palestras que abordarão a questão de várias perspectivas. Os palestrantes serão o arcebispo de Malines-Bruxelas, dom André-Joseph Léonard, presidente da Conferência Episcopal da Bélgica; a profª Marta Cartabia, docente de Direito e juíza do Tribunal Constitucional da Itália, e o profº Kuno Schedler, que leciona Administração de Empresas na Universidade de St. Gallen.

O cardeal Peter Erdo, arcebispo de Esztergom-Budapeste, na Hungria, e presidente da conferência episcopal europeia, explica a lógica por trás da escolha do local e do tema:

"Escolhemos St. Gallen para comemorar os 1.400 anos da chegada de São Galo à cidade. Seremos peregrinos, para ouvir atentamente este santo que teve um papel tão importante na evangelização dessa parte da Suíça, muito remota naquele tempo. Como em qualquer peregrinação, o nosso encontro vai girar em torno da oração de louvor ao Senhor, através das várias celebrações que marcam o nosso programa, e do discernimento, em particular, sobre os desafios espirituais e sociais do nosso tempo. Neste momento de dificuldade econômica, o homem de hoje, o cidadão europeu dos nossos países, pode facilmente se deixar infectar pela epidemia crescente do nosso tempo: o desespero. A falta de esperança é o maior mal do nosso tempo. Estamos enfrentando uma revolução antropológica que confunde o próprio homem, enganando-o e ameaçando fazê-lo se perder de vez. A Igreja é grata ao Senhor por ter recebido dele a resposta às expectativas mais profundas do homem, ao seu anseio mais profundo e à sua aspiração do Outro. A resposta é Cristo. A nova evangelização, um tema que nos acompanha nos últimos anos, é uma oportunidade e um chamado a trabalhar para que Cristo, sempre o mesmo ontem e hoje, seja compreendido e aceito por todos. Um coração que encontrou o seu caminho em Cristo será capaz de realizar milagres na família, na escola, no trabalho e em várias instituições nacionais e internacionais".

Entre os outros assuntos a ser discutidos durante os quatro dias de trabalho, destacam-se a discriminação contra os cristãos na Europa e a perseguição contra os cristãos no mundo, a liberdade religiosa, a construção da União Europeia e do Conselho da Europa, o Ano da Fé e o 50º aniversário do concílio Vaticano II.

Vão a St. Gallen também o prefeito da Congregação para os Bispos, cardeal Marc Ouellet, e representantes de organismos eclesiais continentais para a América Latina (CELAM) e para a África (SECAM), além do Cazaquistão. Vários bispos da Conferência Episcopal da Suíça participarão em alguns momentos do encontro.

Os bispos ainda receberão representantes de instituições civis e eclesiais da cidade e do cantão de St. Gallen. A reunião acontece na sede da conferência episcopal europeia a convite de dom Markus Büchel, bispo de St. Gallen.