Estação católica de rádio do Sudão do Sul é fechada e jornalista é detido

Porta-voz da presidência afirma que a decisão se deve a motivos de segurança nacional

Roma, (Zenit.org) Redacao | 448 visitas

Um jornalista foi detido e uma estação católica de rádio foi fechada no Sudão do Sul por motivos de "segurança nacional", conforme informações da imprensa local.

O diretor do Serviço de Segurança Nacional do país, Madut Wol, ordenou o fechamento da Rádio Bakhita no último sábado. A Rádio Tamazuj, do Sudão, relatou que os agentes de segurança detiveram um dos editores de notícias da estação.

Ateny Wek, porta-voz da presidência do Sudão do Sul, explicou que a estação de rádio, ao noticiar um confronto ocorrido entre exército e rebeldes, não informou o fato de acordo com as declarações oficiais do exército, que declaravam que os rebeldes tinham atacado as suas posições. Em vez disso, a emissora teria informado que o exército é que foi o responsável pela agressão.

Wek insistiu em dizer que a estação foi fechada "por razões de segurança nacional" e que o ministério da Informação e o presidente do Sudão do Sul, Salva Kiir, não estão envolvidos na decisão. Um relatório posterior destacou que o presidente Kiir, que regularmente participa das missas, não esteve presente na celebração deste domingo na catedral Kator, em Juba.

Na sexta-feira, perto de Bentiu, no Sudão, as tropas do governo entraram em confronto com rebeldes do Sudão do Sul, apesar da advertência de sanções por parte do Conselho de Segurança da ONU caso qualquer dos lados violasse o cessar-fogo assinado em maio deste ano.

A ONU está abrigando cerca de 30.000 pessoas afetadas pelos combates.