Estados Unidos: metade dos jovens católicos são de origem hispânica

Entrevista com o cardeal Sean Patrick OMalley, arcebispo de Boston

| 1086 visitas

José Antonio Varela Vidal

VATICANO, terça-feira, 11 de dezembro de 2012 (ZENIT.org) - Os representantes da Igreja dos Estados Unidos e do Canadá têm presença numerosa e entusiasta no Congresso Internacional Ecclesia in America, organizado no Vaticano pela Comissão Pontifícia para a América Latina e pelos Cavaleiros de Colombo, em parceria com o Instituto Superior de Estudos Guadalupanos do México. O cardeal arcebispo de Boston destaca em entrevista que a metade dos católicos jovens, de até 30 anos de idade, têm origem hispânica.

O evento, que termina amanhã, faz parte das celebrações dos 15 anos da Assembleia Especial do Sínodo dos Bispos para a América. Foi o beato João Paulo II quem o encerrou perante a imagem prodigiosa de Nossa Senhora de Guadalupe e depois deu ao mundo a exortação pós-sinodal Ecclesia in America, com plena vigência em tempos de Nova Evangelização.

Uma das figuras de destaque na reunião é o cardeal Sean Patrick O’Malley, OFM Cap, arcebispo de Boston, que assiste a todas as sessões vestido com seu hábito franciscano e participa com entusiasmo e experiência nos debates. ZENIT conversou com ele sobre os desafios da Igreja na América e sobre a situação dos hospitais católicos nos Estados Unidos, que podem ser obrigados pela reforma da saúde feita pelo governo Obama a incluir em seus serviços médicos os métodos de planejamento familiar que a Igreja desaconselha.

ZENIT: Qual é a importância deste evento para a Igreja na América?

Cardeal O’Malley: É mais um esforço para cumprirmos o ideal do Sínodo da Igreja na América e para estreitarmos laços de amizade e colaboração entre os nossos países.

ZENIT: 15 anos depois do evento, onde se avançou mais e o que está faltando?

Cardeal O’Malley: O professor Carriquiry nos disse ontem que já passou a época da ideologia da Teologia da Libertação e outros conflitos da América Central, como as guerrilhas. Essa época já passou e agora temos a oportunidade de começar de novo e nos concentrar no ideal do evangelho e na nossa missão de anunciar em conjunto a Boa Nova em todo o continente.

ZENIT: Qual é o maior contributo da América Latina à Igreja católica da América do Norte?

Cardeal O’Malley: Ela está nos trazendo gente, que é o mais importante (risos). Metade dos católicos de menos de 30 anos de idade nos Estados Unidos são hispanos. As igrejas da América Latina também estão enviando agentes de pastoral, sacerdotes e religiosos, e até seminaristas, para fortalecer os nossos esforços de servir à comunidade hispânica e migrante nos Estados Unidos. E no Canadá é uma situação parecida, nas regiões onde existe população de origem hispânica.

ZENIT: A Igreja dos Estados Unidos enfrenta o desafio da lei de saúde do governo, que obrigaria os hospitais a oferecer todo tipo de métodos de planejamento familiar. Qual é a situação atual e como a Igreja vai agir?

Cardeal O’Malley: Há muita incerteza, porque o governo diz que vai apresentar alguma solução e estamos esperando. Muitas instituições e organizações católicas já entraram na justiça para solucionar o problema.

ZENIT: Os bispos estão muito envolvidos neste caso, não?

Cardeal O’Malley: A conferência dos bispos está tentando dialogar com o governo para ver o que é que conseguimos. Mas é um momento de preocupação.

ZENIT: Eminência, a agência ZENIT também está completando 15 anos de serviço. Que mensagem o senhor poderia enviar para os nossos leitores?

Cardeal O’Malley: Meu incentivo e parabéns pelo grande trabalho que vocês fazem, divulgando as notícias e a documentação do papa. É um dos lugares mais valiosos que nós temos na internet para as notícias católicas. Parabéns e sigam em frente!

(Trad.ZENIT)