EUA: bispos instituem comitê para liberdade religiosa

“Se não agirmos agora, as consequências serão graves”, afirma Dom Lori

| 854 visitas

WASHINGTON, terça-feira, 4 de outubro de 2011 (ZENIT.org) – A liberdade religiosa está ameaçada nos Estados Unidos, até o ponto de justificar um novo comitê ad hoc para enfrentar esta preocupação crescente, sustentam os bispos da nação.

A Conferência Episcopal dos Estados Unidos (USCCB) anunciou, na última sexta-feira, a instituição do Comitê Ad Hoc para a Liberdade Religiosa, presidido por Dom William Lori, de Bridgeport (Connecticut).

O apoio ao trabalho do comitê incluirá a incorporação de dois membros, a tempo integral, à equipe da USCCB: um advogado especialista no direito relativo à liberdade religiosa e um representante de um grupo de pressão, que gestionará as questões que têm a ver tanto com a liberdade religiosa como com o matrimônio.

Dom Lori, de 60 anos de idade, afirmou que acolhe com satisfação a “oportunidade de trabalhar com os meus irmão bispos e com homens e mulheres especialistas em direito constitucional, para defender e promover o dom divino da liberdade, reconhecido e garantido pela Carta de Direitos da Constituição dos Estados Unidos”.

“Este comitê ad hoc pretende enfrentar as crescentes ameaças à liberdade religiosa na nossa sociedade, de maneira que a missão da Igreja possa proceder sem impedimentos e os direitos dos crentes de toda fé religiosa ou de nenhuma possam ser respeitados”, acrescentou.

Sem precedentes

Em sua carta aos bispos para anunciar a instituição do comitê, Dom Timothy Dolan, presidente da USCCB, afirmou que a liberdade religiosa, “em suas muitas e diversas aplicações para os cristãos e as pessoas de fé, está sempre sob ataque na América, de formas sem precedentes”.

“Isso é sobretudo por um número cada vez maior de programas e de políticas do governo federal que violariam o direito de consciência das pessoas de fé ou prejudicariam o princípio de base da liberdade religiosa”, observou.

O arcebispo acrescentou que “a instituição de um comitê ad hoc é um elemento que, espero, marcará um momento novo na história da nossa Conferência”.

“Nunca antes havíamos enfrentado este tipo de desafio à nossa capacidade de comprometer-nos no âmbito público como pessoas de fé e provedoras de serviços. Se não agirmos agora, as consequências serão graves.”

A carta de Dom Dolan aos bispos, na qual se anuncia a instituição do comitê, pode ser lida em: www.usccb.org/issues-and-action/religious-liberty/upload/dolan-letter-on-religious-liberty.pdf.