EUA, duas pessoas são curadas do Ebola graças a um fármaco

Dois cidadãos norte-americanos que tinham contraído o vírus na Libéria. Codacons agora está pedindo que o fármaco seja introduzido na Itália

Roma, (Zenit.org) Redacao | 605 visitas

Duas pessoas infectadas com o vírus ebola foram curadas. As notícias que são motivo de alívio e reacendem uma luz de esperança em todo o mundo chegam dos Estados Unidos. A primeira é sobre Kent Brantly, o médico americano infectado no início de agosto na Libéria, recebeu alta do hospital de Atlanta depois de ter sido internado no dia 02 de agosto. O homem teria sido curado graças ao soro experimental Zmapp com o qual foi tratado. A outra pessoa curada é Nancy Wristebol, missionária americana também contagiada na Libéria e recebeu alta quarta-feira do Emory Hospital de Atlanta.

O Codacons reagiu positivamente na Itália e pediu para o ministro da Saúde, Beatrice Lorenzin para "tomar medidas para trazer à Itália a vacina contra o Ebola produzida nos Estados Unidos, que até agora tem tido efeitos positivos contra o vírus derrotando em poucos dias a doença”. O Codacons recorda que “a Itália através Lampedusa é o primeiro destino dos refugiados da África, precisamente devido a este fator o País deve ter acesso à vacina já em uso nos Estados Unidos, como medida de precaução e para evitar uma possível propagação do vírus em nosso território".

A Itália, continua Carlo Rienzi, presidente do Condacons 'vive diariamente o drama dos desembarques de refugiados, na total desatenção da Europa, e tem o sacrossanto direito de se defender e proteger a saúde dos seus cidadãos. Por este motivo, a vacina do EUA deve estar imediatamente em nossa disponibilidade, e o ministro deve ativar os procedimentos adequados a esse respeito".