EUA festeja em Roma os 30 anos das relações diplomáticas com a Santa Sé

O embaixador, Ken Hackett a ZENIT: "Espero que entre o Santo Padre e Obama nasça uma amizade pessoal'

Roma, (Zenit.org) Junno Arocho | 326 visitas

Em 1984, o presidente Ronald Reagan e o Beato João Paulo II formalmente estabeleceram relações diplomáticas. Trinta anos depois, este evento histórico foi comemorado hoje, durante uma recepção no famoso Palácio da Chancelaria, um edifício renascentista do século XV localizado no coração de Roma.

Ken Hackett, o embaixador dos EUA junto à Santa Sé e o arcebispo Dominique Mambertí, secretário vaticano para as Relações com os Estados, estiveram aí para comemorar a relação estabelecida entre os dois estados.

Embora as relações diplomáticas tenham sido estabelecidas formalmente na década de 80, tanto o embaixador Hackett como o arcebispo Mambertí relembraram as raízes das relações diplomáticas que remontam ao nascimento dos Estados Unidos.

O primeiro contato oficial entre a Santa Sé e os Estados Unidos foi feito em 1788, quando o presidente George Washington assegurou ao papa Pio VI que teria total liberdade para nomear os bispos nos EUA. Um ano mais tarde, John Carroll foi eleito o primeiro bispo de Baltimore, e o primeiro bispo católico nos Estados Unidos.

Em seu discurso, o arcebispo Mambertí disse que as relações entre a Santa Sé e os EUA cresceram aos poucos e de modo constante e que confia em que o vínculo entre os dois Estados continuará crescendo com força.

"Que a amizade e a cooperação entre a Santa Sé e os Estados Unidos da América sejam cada vez mais fortalecidas dentro da família das nações, para que o mundo possa progredir na construção da paz, da justiça e da fraternidade", disse o arcebispo Mambertí.

O embaixador Hackett em declarações a ZENIT disse: "Só vejo crescimento como o arcebispo Mambertí mencionou, oportunidades para uma maior colaboração entre os nossos dois Estados nos quais se pode trabalhar nos temas da paz, da justiça e da pobreza”.

E acrescentou que considera que o Papa Francisco tem "estabelecido um nível muito alto” para atrair a atenção dos pobres e marginalizados. "Acredito firmemente que o presidente Obama quer implementar esse nível nas coisas que faz".

A celebração ocorre em um momento importante nas relações entre os EUA e a Santa Sé, já que o presidente Obama fará sua primeira visita ao Papa Francisco no dia 27 de março. O embaixador Hackett expressou sua esperança de que surja uma amizade pessoal entre o Santo Padre e o presidente dos EUA.

"O presidente Obama é um apaixonado por muitas, muitas questões que afetam as pessoas que caem no esquecimento, como o é também o Papa Francisco. Espero que possam falar sobre esse tema apaixonante”, disse o embaixador.

Embora não tenha sido falado sobre uma futura visita do Papa aos Estados Unidos, o embaixador Hackett expressou sua esperança de que possa ser realizada. "Adoraríamos, adoraríamos!", exclamou.

(Tradução Thácio Siqueira)