EUA: suspensa ordem de execução

Gregory L. Wilson deveria morrer com injeção letal a 16 de setembro

| 1525 visitas

CIDADE DO VATICANO, terça-feira, 14 de setembro de 2010 (ZENIT.org) – Um juiz suspendeu a execução de um condenado à morte por quem Bento XVI havia intercedido.

O arcebispo Pietro Sambi, núncio do Papa nos Estados Unidos, havia entregue ao governador de Kentucky uma carta na qual o Bento XVI intercede por Gregory L. Wilson, de 53 anos, que deveria ser executado dia 16 de setembro com injeção letal, após ser declarado culpado do sequestro, violação e assassinato de uma mulher, Deborah Pooley, em 1987.

O juiz Phillip Shepherd, do condado de Franklin, barrou a execução, por considerar que o protocolo do Estado para realizar uma execução está em contradição com a legislação do Estado e não oferece garantias de prevenção quanto à execução de pessoas com problemas mentais.

Kentucky reintroduziu em maio o protocolo para o uso da injeção letal, sete meses após a Suprema Corte do Estado ter detido as execuções.

O arcebispo de Louisville, Dom Joseph Kurtz, uniu-se ao pedido do Papa, expressando seu desejo de que prevaleça “uma misericórdia que defenda o bem comum da sociedade, honre a justiça e tenha uma finalidade mais elevada, afastando a irreversível solução da morte. A misericórdia é a única forma de curar e dar esperança”.