EUA terá ordinariato para anglicanos

Cardeal Wuerl avisa que poderá começar antes do fim do ano

| 1158 visitas

SEATTLE, quarta-feira, 22 de junho de 2011 (ZENIT.org) - Um ordinariato pessoal para os anglicanos que desejam entrar em total comunhão com a Igreja Católica será estabelecido nos EUA até o fim do ano, confirmou o cardeal Donald Wuerl, arcebispo de Washington, D.C. 

O cardeal Wuerl, delegado da Congregação para a Doutrina da Fé para a implementação da constituição apostólica Anglicanorum Coetibus nos Estados Unidos, falou sobre a iniciativa na semana passada, em Seatle.

A constituição apostólica de 2009 ofereceu um modo para que grupos de anglicanos possam entrar na Igreja Católica através do estabelecimento de ordinariatos pessoais, uma nova estrutura canônica.

O cardeal revelou que cerca de 100 sacerdotes e 2.000 leigos já pediram para ingressar na Igreja Católica através da nova estrutura. “No momento, já parece viável estabelecer um ordinariato nos EUA”, disse.

Segundo ele, a Santa Sé manifestou seu desejo de estabelecer a nova estrutura nos EUA ainda neste ano.

O cardeal e sua equipe trabalham para oferecer aos novos membros a formação necessária para entrar na plena comunhão com a Igreja Católica.

O objetivo principal – disse – é “programar uma formação sacerdotal […] que permita concentrar-se no estudo em áreas como a divergência teológica histórica antes da ordenação sacerdotal”.

Ele afirmou que o seminário maior da arquidiocese de Galveston-Houston oferecerá um programa nessa linha. Tal programa será dirigido pelo padre Jeffrey Steenson, ex-bispo anglicano.

O cardeal Wuerl assinalou vários opções para que os bispos possam apoiar o futuro ordinariato, como ajudar no processo de revisão dos possíveis candidatos ao sacerdócio e oferecer espaços de culto à pequena comunidade que formará parte do novo ordinariato.

“A maioria deles não tem propriedades como uma igreja ou salas de reunião”, disse. “Nossa hospitalidade em relação aos lugares de culto será um sinal de generosidade de nossa parte e estou seguro de que será bem recebido”.

O cardeal Wuerl sugeriu que os bispos possam indicar sacerdotes como pontes com os membros do ordinariato e ajudá-los com as questões que possam surgir no processo de formação.

Em relação aos leigos, o cardeal disse que os bispos podem auxiliar em sua integração na Igreja Católica mediante o apoio aos esforços do ordinariato para oferecer “o processo catequético para aqueles fiéis leigos que entrarem no ordinariato para professar a fé como católicos”.

O primeiro ordinariato foi estabelecido em janeiro para Inglaterra e Gales. Chama-se Ordinariato Pessoal de Nossa Senhora de Walsingham. Estudam-se outros ordinariatos na Austrália e no Canadá.