Eurojam: o compromisso comum para uma Europa de paz

O encontro internacional dos Escoteiros na Normandia foi aberto com uma cerimônia sugestiva e altamente simbólica

Roma, (Zenit.org) Redacao | 267 visitas

Uma cerimônia sugestiva e altamente simbólica inaugurou a 5 ª reunião internacional dos Escoteiros da Europa, acontecida na Normandia.

Danças, bandeiras carregadas por rapazes dos 20 países diferentes e, depois, um espetáculo de música, cavalos e cores para percorrer alguns dos momentos importantes da história do século passado, para culminar com a realização comum da bandeira da paz.

Após a saudação do Presidente Federal, a Missa internacional presidida por Mons. Cyril Vasill sj, precedida pela leitura em francês da mensagem do Papa, entregue depois pelo bispo local para o presidente UIGSE-ESF.

"Anunciar o Evangelho de Cristo: o Santo Padre nos recomenda assumir com todo o coração esta tarefa e de utilizar, para esta finalidade, o nosso testemunho e o instrumento instrumento mais bonito que temos nas nossas mãos, o método scout”, comentou o padre Boguslaw Migut, assistente federal.

"Muitas gerações ao redor do mundo - acrescentou – devem a esta brilhante pedagogia, que celebra os seus cem anos, as suas virtudes humanas e as vitórias sobre as mediocridades e a acomodação”.

"Na criação, na sua própria história pessoal e de serviço aos irmãos, o convite para reconhecer a Deus, fonte e fim da existência humana. "Um método que se tornou para muitos cristãos uma ajuda indispensável no caminho da santidade. O amor, a simplicidade de Jesus, a sua obediência e o seu serviço às irmãs e aos irmãos devem ser sempre o fundamento da nossa vida e do nosso serviço”, concluiu, portanto, o padre Migut.

"A mensagem do Santo Padre nos convida e incentiva - disse por sua parte o presidente da União Nicoletta Orzes - a perseguir com os meios do scoutismo a educação integral da pessoa, de acordo com o humanismo cristão e a dignidade de cada um como homem e mulher aos quais Deus dá um projeto de vida; a não ter medo de enfrentar os desafios da vida, em primeiro lugar o de comprometer-se a deixar um mundo melhor como indicado pelo mesmo Baden Powell, fundado sobre a paz, a defesa da vida, a fraternidade; a ser protagonista na vida da Igreja, amando-a e servindo-a com a generosidade da juventude, procurando e vivendo as virtudes mais nobres e comprometedoras como fundamento da vida”.