Europa decepciona Santa Sé na atual crise migratória

Fecha as fronteiras a refugiados de países do norte da África

| 1232 visitas

CIDADE DO VATICANO, quarta-feira, 14 de abril de 2011 (ZENIT.org) - O fechamento europeu das fronteiras diante da onda de imigrantes e refugiados provocados pelos conflitos no norte da África decepcionou a Santa Sé.

O cardeal Tarcisio Bertone, secretário de Estado de Bento XVI, manifestou nessa terça-feira sua decepção, em palavra divulgadas ontem por ‘L'Osservatore Romano’.

“Não há dúvidas de que a Europa decepcionou profundamente” nesta emergência, afirmou o cardeal italiano. “A Europa perdeu seu espírito profundo, um espírito de grande solidariedade perante todos os povos da Europa e depois entre os demais povos. Pensemos na África, da qual tanto se abusou: parece que a Europa lhe deu as costas”.

Os ataques aéreos contra o regime da Líbia, promovidos entre outros por Estados europeus, provocaram a fuga por terra de mais de 500 mil pessoas, segundo o Alto Comissariado da ONU para os Refugiados (ACNUR). Dezenas de milhares de pessoas seguiram por mar tentando chegar à Itália ou a Malta.

Segundo o ACNUR, teme-se que na travessia entre a África e a Europa, nas últimas duas semanas, tenham perdido a vida 800 emigrantes. Além disso, dos 250 falecidos no naufrágio de 6 de abril no Canal da Sicília, nada se sabe das 560 pessoas que se lançaram ao mar em três embarcações que não alcançaram seu destino.

Apesar dessa emergência, a França e outros países europeus impediram a passagem desses imigrantes a partir da Itália, deixando este país sozinho na gestão da crise.

“Queremos levantar a voz para que esta Europa volte a encontrar sua alma, uma alma de grande solidariedade e generosidade com estas populações que enfrentam a emergência e grandes necessidades. E gostaríamos que não se deixasse a Itália sozinha”, disse o cardeal Bertone.