Eutanásia e adoção de crianças por homossexuais ferem a dignidade humana

Afirmam os secretários dos episcopados europeus após sua reunião anual

| 2284 visitas

LVIV, terça-feira, 14 de julho de 2009 (ZENIT.org).- “Na Europa estão se difundindo alguns fenômenos que ferem a dignidade da pessoa humana”, assinalaram os secretários gerais das 36 conferências episcopais europeias após sua reunião anual realizada em Lviv, Ucrânia, de 9 a 13 de julho.

Os secretários dos episcopados europeus analisaram o caso de Eluana Englaro, a mulher falecida no mês de fevereiro passado após a retirada de sua sonda de alimentação em uma clínica italiana. 

Sua situação provocou uma grande discussão social e inclusive o debate, no Senado da Itália, de um projeto de lei para proibir a suspensão da nutrição e hidratação que mantinha a jovem com vida. 

A reunião também analisou a situação das agências inglesas católicas de adoção, que se negaram a administrar os processos de adoção de crianças para os casais homossexuais, e foram obrigadas a fechar.

Estes fenômenos “preocupam a Igreja pelo modelo antropológico que implicam, bastante afastado da cultura da vida e do modelo natural da família”, concluíram os secretários das conferências episcopais, segundo informou a Rádio Vaticano. 

As jornadas começaram com uma apresentação da Igreja católica na Ucrânia, a cargo de Sua Beatitude o cardeal Lubomyr Husar, arcebispo maior de Kiev, e das relações entre o Estado e a Igreja ortodoxa, a cargo do núncio apostólico, Dom Ivan Jurkovich. 

Na Ucrânia, a colegialidade episcopal é expressada através de duas instituições: a conferência episcopal da Ucrânia (dos bispos de rito latino) e o Sínodo dos Bispos greco-católicos da Ucrânia (da hierarquia de rito bizantino). 

Em seguida, o secretário geral da conferência episcopal alemã, o Pe. Hans Langendorfer, apresentou a encíclica “Caritas in veritate”.

Entre as prioridades do documento, destacou “a centralidade da pessoa, a dimensão social da economia, e a globalização e a interdependência dos lugares com mais poder e competências”. 

“A orientação central deve ser a busca do bem comum e o desenvolvimento integral da pessoa humana – destacou –. A economia e o mercado precisam da ética para seu correto funcionamento”. 

Também destacou a defesa do Papa de um Estado mais aberto à participação da sociedade civil. 

Em sua reunião, os secretários repassaram também outros temas, entre eles a relação entre a Igreja e os meios de comunicação, a vida e a missão do sacerdote, e a próxima Jornada Mundial da Juventude que será realizada em Madri em 2011. 

O próximo encontro dos secretários gerais das conferências episcopais da Europa acontecerá em Roma de 10 a 13 de junho de 2010.