Evangelizar é facilitar relação pessoal com Cristo

Papa recebe bispos filipinos em visita “ad limina”

| 1483 visitas

CIDADE DO VATICANO, sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011 (ZENIT.org) - O segredo para a verdadeira realização humana é uma relação genuína e pessoal com Cristo, afirmou o Papa Bento XVI nesta sexta-feira, diante de um grupo de bispos filipinos.

O Papa saudou os bispos das Filipinas, por ocasião da sua visita "ad Limina Apostolorum", sublinhando a "relação profunda" dos católicos deste país com o Sucessor de Pedro, e pediu que esta comunhão "continue crescendo e florescendo", ajudando-os a enfrentar os "desafios desta época".

Estes, afirmou, não se referem apenas ao setor de desenvolvimento econômico, pois a cultura filipina "enfrenta muitos problemas sutis inerentes ao materialismo, ao secularismo e ao consumismo dos nossos tempos".

"Quando a liberdade e a autossuficiência se desprendem de sua dependência e realização em Deus - disse o Papa -, a pessoa humana cria para si mesma um falso destino e perde de vista a alegria eterna para a qual foi criada."

"O caminho de redescoberta do verdadeiro destino da humanidade só pode ser encontrado no restabelecimento da primazia de Deus nos corações e mentes de cada pessoa."

"Vossa grande tarefa de evangelização é, portanto, propor uma relação pessoal com Cristo como a chave para a realização plena", disse aos bispos.

Testemunho

Neste contexto, o Papa também destacou que "as novas iniciativas de evangelização só serão fecundas se, pela graça de Deus, seus propagadores forem pessoas que realmente acreditam e vivem a mensagem do Evangelho".

"Esta é certamente uma das razões pela qual as comunidades eclesiais tiveram um impacto positivo em todo o país", observou.

"Por serem formadas e lideradas por pessoas cuja motivação é a força de seu amor por Cristo, estas comunidades demonstraram ser instrumentos dignos de evangelização, já que trabalham em união com as paróquias locais."

A Igreja nas Filipinas, acrescentou, "tem a sorte de contar com um número de organizações leigas que continuam atraindo pessoas para o Senhor".

Para atender as exigências do nosso tempo, disse o Pontífice, "os leigos precisam ouvir a mensagem do Evangelho em sua plenitude, para compreender suas implicações em suas vidas pessoais e para a sociedade em geral e, portanto, estar constantemente convertidos ao Senhor".

Portanto, exortou os bispos presentes a "ter um cuidado especial na orientação desses grupos, para que a primazia de Deus continue na vanguarda".

Juventude e Vocações

Segundo Bento XVI, esta primazia é "particularmente importante" quando se trata de evangelizar os jovens.

Assim, expressou sua satisfação pelo fato de que, nas Filipinas, "a fé desempenha um papel importante na vida dos jovens", principalmente graças "ao trabalho paciente da Igreja local para chegar aos jovens em todos os níveis".

"Encorajo-vos a recordar aos jovens que o glamour deste mundo não vai satisfazer seu desejo natural de felicidade", disse ele aos presentes.

O cuidado pelos jovens, prosseguiu, deve envolver também o cuidado em "mostrar aos jovens a importância dos sacramentos como instrumentos da ajuda e graça de Deus".

Isso, sublinhou, principalmente em relação ao sacramento do matrimônio, "que santifica a vida do casal desde o início, de modo que a presença de Deus sustenta os casais jovens em seus problemas".

"O cuidado pastoral dos jovens, que tem como objetivo estabelecer a primazia de Deus em seus corações, se dá de maneira inerente, não só nas vocações ao matrimônio cristão, mas nos chamados vocacionais de todos os tipos", acrescentou,elogiando "o sucesso das iniciativas locais na promoção de numerosas vocações ao sacerdócio e à vida consagrada".

Apesar destes progressos, "a necessidade de mais vocações de servos dedicados a Cristo, seja no próprio país ou no estrangeiro, continua sendo urgente". Os relatórios quinquenais mostram que, em muitas dioceses, o número de paróquias "não é suficiente para atender as necessidades espirituais da grande e crescente população católica".

"Junto a vós, rezo para que aqueles que sentem um chamado ao sacerdócio e à vida religiosa respondam generosamente aos impulsos do Espírito", afirmou.

Os bispos, concluiu, devem "dar a estas jovens vocações um plano de formação integral bem desenvolvido e implementado com cuidado, de modo que sua inclinação inicial a uma vida de serviço de Cristo e aos seus fiéis possa alcançar a plenitude espiritual e a maturidade humana."