Evangelizar significa promover a autêntica paz, diz Papa

No mês missionário por excelência

| 510 visitas

CIDADE DO VATICANO, domingo, 7 de outubro de 2007 (ZENIT.org).- Bento XVI explicou este domingo que a evangelização é a maneira mais profunda com a qual os cristãos podem promover a paz autêntica.



O pontífice afirmou isso ao rezar o Angelus junto a milhares de peregrinos, recordando que o mês de outubro é dedicado tradicionalmente pela Igreja às missões e aos missionários, pois nele se celebra o Domingo Mundial das Missões, que neste ano acontece em 21 de outubro.

«Sabemos que a autêntica paz difunde-se ali onde os homens e as instituições abrem-se ao Evangelho», declarou o pontífice falando desde a janela de seu apartamento.

«O mês de outubro ajuda-nos a recordar esta verdade fundamental através de uma mobilização que busca promover o anseio missionário em cada comunidade e apoiar o trabalho de sacerdotes, religiosas, religiosos e leigos que trabalham nas fronteiras da missão da Igreja».

Para este ano, Bento XVI dedicou sua mensagem para a Jornada Missionária Mundial ao tema «Todas as Igrejas para o mundo inteiro».

«O anúncio do Evangelho é o primeiro serviço da Igreja à humanidade para oferecer a salvação de Cristo ao homem de nosso tempo, humilhado e oprimido de muitas maneiras, e para orientar de forma cristã as transformações culturais, sociais e éticas que acontecem no mundo», declarou o Papa.

Bento XVI recordou que há 150 anos partiram para a África, para o atual Sudão, cinco sacerdotes e um leigo entre os quais se encontrava São Daniel Comboni (1831-1881), futuro bispo da África central e patrono dessas populações, cuja memória litúrgica celebra-se no próximo dia 10 de outubro.

Fundador dos Missionários Combonianos do Coração de Jesus e das Pias Madres da Nigricia, Comboni foi canonizado por João Paulo II em 5 de outubro de 2003.

«À intercessão deste pioneiro do Evangelho e de outros numerosos santos e beatos missionários, em particular à proteção da Rainha do Santo Rosário, encomendamos todos os missionários e missionárias», concluiu o Papa.