Excomungados quatro clérigos greco-católicos da Ucrânia

Eles se proclamaram bispos e criaram uma Igreja separada

| 1750 visitas

VATICANO, sexta-feira, 30 de março de 2012 (ZENIT.org) – A Congregação para a Doutrina da Fé divulgou uma Declaração sobre o status canônico dos "sediciosos bispos greco-católicos de Pidhirci", reverendos Eliáš A. Dohnal OSBM, Markian V. Hitiuk OSBM, Metodeix R. Špiřik OSBM e Robert Oberhauser.

1) A Santa Sé acompanhou com viva apreensão a atividade iniciada pelos reverendos EliášA. Dohnal OSBM, Markian V. Hitiuk OSBM, Metodeix R. Špiřik OSBM e Robert Oberhauser, que, expulsos da Ordem Basiliana de São Josafá, se proclamaram bispos da Igreja greco-católica ucraniana. Os clérigos, com seu comportamento contumaz, continuam desafiando a autoridade eclesiástica, prejudicando moral e espiritualmente não só a Ordem Basiliana de São Josafá e a Igreja greco-católica ucraniana, mas também esta Sede Apostólica e a inteira Igreja católica. O caso provoca divisão e desconcerto entre os fiéis. Os citados clérigos, depois de darem vida a um grupo de "bispos" de Pidhirci, recentemente tentaram obter o reconhecimento e o sucessivo registro, por parte das competentes autoridades civis, como "Igreja Ortodoxa Greco-Católica Ucraniana".

2) Expoentes de vários níveis da Igreja desde o início deste doloroso assunto procuraram em vão dissuadi-los do comportamentos que pode levar os fiéis ao erro, o que de fato aconteceu com alguns.

3) A Santa Sé, solícita em proteger a unidade e a paz do rebanho de Cristo, esperou um arrependimento e um consequente retorno dos clérigos à plena comunhão com a Igreja católica. Infelizmente, os últimos acontecimentos demonstraram a sua contumácia.

4) Para salvaguardar o bem comum da Igreja e a salus animarum, dado que os sediciosos "bispos" de Pidhirci não deram sinal de reconsideração, mas seguem, antes, criando confusão e desordem na comunidade dos fiéis, em particular caluniando os expoentes da Santa Sé e da Igreja local e afirmando que a Suprema Autoridade da Igreja está em posse de documentação que comprovaria a plena validade da sua ordenação episcopal, a Congregação para a Doutrina da Fé, acolhendo a petição apresentada pela Autoridade eclesiástica da Igreja greco-católica ucraniana, assim como outros dicastérios da Santa Sé, decidiu com a presente declaração informar aos fiéis, especialmente nos países de proveniência dos sediciosos "bispos", a respeito da sua atual condição canônica.

5) Esta Congregação, dissociando-se totalmente da ação dos mencionados sediciosos "bispos" e das suas supracitadas falsas declarações, formalmente declara não reconhecer a validade da sua ordenação episcopal e de todas as ordenações que delas derivaram ou derivarão. O estado canônico dos quatro mencionados sediciosos "bispos" é o de excomungados segundo o cânon 1459 § 1 do Codex Canonum Ecclesiarum Orientalium (CCEO), dado que, com a sentença de segunda instância do Tribunal Ordinário da Igreja Arquiepiscopal Maior Ucraniana de 10 de setembro de 2008, os mesmos foram reconhecidos culpados dos delitos dos cânones 1462, 1447 e 1452 CCEO, a saber, dos delitos de usurpação ilegítima do cargo; de fomentada sedição e de ódio para com alguns hierarcas e de provocação dos mesmos a desobedecer; além do delito de ofensa à boa fama mediante declarações caluniosas.

6) Notifica-se, ainda, que a denominação "católica" usada por grupos não reconhecidos pela competente autoridade eclesiástica deve ser considerada ilegítima e abusiva segundo o cânon 19 CCEO.

7) Os fiéis estão, portanto, obrigados a não aderir a tal grupo, que está, para todo efeito canônico, fora da comunhão eclesiástica, e são convidados a orar pelos membros do mesmo grupo para que possam arrepender-se e voltar à plena comunhão com a Igreja Católica.

Do Palácio do Santo Ofício, 22 de fevereiro de 2012.

William cardeal Levada, prefeito.

+ Luis F. Ladaria SJ, arcebispo titular de Thibica, secretário.

©Livraria Editora Vaticana