Exercícios espirituais do Papa, em companhia dos santos

Fala o pregador, o carmelita descalço François-Marie Léthel

| 1750 visitas

CIDADE DO VATICANO, quinta-feira, 17 de março de 2011 (ZENIT.org) - Desde a segunda-feira passada até o próximo sábado, Bento XVI está vivendo, com os seus colaboradores da Cúria Romana, dias dedicados à oração, em companhia dos santos.

O pregador dos exercícios espirituais, o carmelita descalço François-Marie Léthel, secretário da Pontifícia Academia de Teologia, escolheu precisamente como tema para suas meditações: "A luz de Cristo no coração da Igreja: João Paulo II e a teologia dos santos".

"Quando o Papa me pediu para pregar estes exercícios espirituais, eu me recolhi em oração e então ficou clara a orientação que deveria ser dada às meditações: uma preparação espiritual para a beatificação de João Paulo II, que será realizada em 1º de maio, domingo da oitava da Páscoa, festa da Divina Misericórdia, início do mês mariano e também festa de São José Operário", revela o pregador.

"Estou convencido de que este é um evento de alcance imenso para a Igreja e para o mundo, que exige uma profunda preparação espiritual de todo o povo de Deus, de forma exemplar pelo Santo Padre e seus colaboradores mais próximos", explica em uma entrevista concedida à edição italiana do ‘L'Osservatore Romano' de 17 de março.

"A beatificação de João Paulo II é como a coroação do seu extraordinário pontificado, precisamente sob o sinal da santidade. Para desenvolver o tema, escolhi um ícone da comunhão dos santos: um quadro do Beato Fra Angelico, que representa os santos e anjos no céu, que se dão as mãos e formam uma espécie de círculo. Os santos se dão e nos dão as mãos para nos guiar no caminho da santidade."

"Este é o sentido da conversão quaresmal: comprometer-nos cada vez mais, entrando, também nós, neste ‘círculo dos santos'. O círculo é guiado pelo Papa Karol Wojtyla, que segura as mãos de dois santos que lhe são próximos: São Luís Maria Grignion de Montfort, que inspirou seu ‘Totus Tuus', e Santa Teresa de Lisieux, a única santa proclamado doutora da Igreja durante seu pontificado."

Ao recolher a herança espiritual de João Paulo II, o Pe. Léthel acredita que esta "é totalmente focada em sua grandiosa espiritualidade cristocêntrica e mariana".

"A afirmação fundamental centra-se nas primeiras palavras da Redemptor hominis: ‘O Redentor do homem, Jesus Cristo, é o centro do cosmos e da história', e no lema ‘leimotiv' da Gaudium et spes: ‘Cristo uniu-se com cada homem'."