Falece Pe. Marcial Maciel, fundador dos Legionários de Cristo

E do movimento de apostolado «Regnum Christi»

| 3071 visitas

ROMA, quinta-feira, 31 de janeiro de 2008 (ZENIT.org).- Os Legionários de Cristo e o Movimento Regnum Christi comunicaram nesta quinta-feira que no dia 30 de janeiro faleceu, aos 87 anos de idade, nos Estados Unidos, seu fundador, o Pe. Marcial Maciel.

Segundo explica o comunicado, «o Pe. Maciel transmitiu ao Pe. Álvaro Corcuera, diretor geral da congregação, seu desejo de que seu funeral se levasse a cabo em um clima de oração, de forma simples e privada».

«Os Legionários de Cristo e os membros do Movimento Regnum Christi compartilham com dor a perda de seu querido pai fundador, que foi instrumento de Deus para dar início a esta obra ao serviço da Igreja e da sociedade», afirma a nota.

O Pe. Maciel faleceu pelo acúmulo de várias complicações em sua saúde, agravadas por sua avançada idade.

«Deixa como legado a congregação dos Legionários de Cristo e o movimento de apostolado Regnum Christi, presente em cerca de 30 países do mundo.»

«Em seus 87 anos de vida, o Pe. Maciel dedicou suas energias a cumprir a missão que Deus lhe confiou para contribuir com a missão evangelizadora da Igreja, de forma que mais homens e mulheres de todas as condições sociais pudessem conhecer, viver e transmitir o amor de Jesus Cristo e a boa nova do seu Evangelho», afirma o comunicado.

«A Legião de Cristo e o Movimento Regnum Christi pedem orações pelo descanso eterno de sua alma e agradecem de coração todas as condolências e demonstrações de estima e carinho», conclui a nota.

Marcial Maciel nasceu em Cotija de la Paz, (Michoacán, México) em 10 de março de 1920. Após viver em sua infância a perseguição religiosa da década de 20 no México, aos quinze anos ingressou no seminário que seu tio-avô São Rafael Guízar, bispo de Veracruz, dirigia clandestinamente na Cidade do México.

Aos 20 anos, sem ser ainda sacerdote, em 3 de janeiro de 1941, ele fundou a congregação dos Legionários de Cristo, estabelecendo uma comunidade na forma de seminário menor, constituída por treze adolescentes.

Em 26 de novembro de 1944, foi ordenado sacerdote pelas mãos de Dom Francisco González Arias, bispo de Cuernavaca.

Em 13 de junho de 1948, a congregação dos Legionários de Cristo foi erigida canonicamente, sob a autoridade do bispo de Cuernavaca.

Em 6 de fevereiro de 1965, o Papa Paulo VI concedeu o «Decretum Laudis», ata pela qual a congregação passou a depender da Santa Sé.

Nos anos 60, fundou o Regnum Christi, movimento de apostolado e evangelização formado por famílias e leigos (consagrados e não-consagrados), assim como sacerdotes diocesanos.

Em 23 de maio de 1970, o Papa Paulo VI criou a prelazia territorial de Chetumal, no sul do México, e confiou este território de missão, cuja população em sua maioria está composta por indígenas maias, aos Legionários de Cristo.

Em 29 de junho de 1983, a Santa Sé aprovou as Constituições dos Legionários de Cristo e em 26 de novembro de 2004, os Estatutos do movimento Regnum Christi.

Em 20 de janeiro de 2005 o Pe. Maciel, depois de ser reeleito como superior geral pelo capítulo geral da Congregação, renunciou por razões de idade. O capítulo elegeu como sucessor o Pe. Álvaro Corcuera Martínez del Río.

Em 19 de maio de 2006, após acusações de algumas pessoas contra o Pe. Maciel, das quais ele se declarou inocente até o momento de sua morte, e ante a impossibilidade de empreender um processo canônico por causa de sua avançada idade e de sua frágil saúde, a Santa Sé publicou um comunicado no qual se lhe convidava «a uma vida reservada».

A nota vaticana reconhecia «com gratidão o benemérito apostolado dos Legionários de Cristo e da associação ‘Regnum Christi’».

Mais informações em www.legionariesofchrist.org e www.regnumchristi.org.