Fátima acolhe Semana Bíblica Nacional

Evento situa-se no contexto das celebrações dos 90 anos das Aparições de Maria

| 543 visitas

FÁTIMA, segunda-feira, 27 de agosto de 2007 (ZENIT.org).- O Secretariado Bíblico Nacional de Portugal dedica a Semana Bíblica Nacional, que vai até o próximo dia 31 de agosto, em Fátima, à reflexão do «Santuário, Espaço de Evangelização».



Segundo informa a agência de notícias do episcopado de Portugal, Ecclesia, a iniciativa integra-se na comemoração dos 90 anos das Aparições em Fátima e quer associar-se ao espírito de celebração. Participam do evento cerca de 300 pessoas, entre leigos e clero.

Entre os conferencistas encontram-se o Provincial dos Franciscanos Capuchinhos, Frei Acílio Mendes, que abre a semana com uma reflexão sobre o tema geral.

Já Frei Lopes Morgado vai abordar o santuário numa perspectiva bíblica, para além do contributo de dois bispos – D. Gilberto Reis, que encerra a semana, e D. Antonino Dias, que vai refletir nos lugares de evangelização – e ainda a presença de D. António Couto, até agora superior geral da Sociedade Missionária da Boa Nova e bispo auxiliar nomeado de Braga.

O santuário será refletido na sua origem bíblica, na realidade eclesial, mas também na importância que adquire nos dias de hoje. Para isso, o dia 28 vai reunir os Reitores dos Santuários de São Bento, Sameiro, Fátima e Vila Viçosa.

«Até que ponto estes locais dão respostas às pessoas que os frequentam, acolhendo, mas ajudando ao crescimento e atualização na fé», são questões a aferir junto dos «maiores catequistas dos santuários», afirma Frei Manuel Arantes, secretário geral da Semana Bíblica e religioso Capuchinho.

A dinâmica dos santuários em si é a mesma «por causa do sentido religioso das pessoas, principalmente as que procuram algo mais do que a vivência nas paróquias, e buscam um sentir mais universal nos santuários».

Toda a Igreja está interessada em que estes lugares «onde se encontram muitos fiéis, gente que talvez não vá às suas paróquias e que não frequenta as suas comunidades cristãs, mas que frequenta os santuários, e assim se se possa dar algum ensinamento», adverte o religioso Capuchinho.

Esta é uma preocupação, pois um Santuário «é um centro de vivência cristã, local onde as pessoas ocorrem com outro sentido, mas onde se pode aproveitar para catequizar as pessoas», afirma Frei Manuel Arantes.