Festa de Nossa Senhora da Apresentação: Padroeira da Arquidiocese e da cidade do Natal

Programação incluiu vigília e procissão fluvial. Cerca de 15 mil pessoas participaram da Santa Missa

Natal, (Zenit.org) | 461 visitas

A Arquidiocese de Natal antecipou as comemorações de encerramento do Ano da fé para celebrar junto ao encerramento da Festa da Padroeira Nossa Senhora da Apresentação nesta quinta-feira (21).

A programação começou à meia noite, com uma vigília na Pedra do Rosário. Às 3h30 aconteceu a procissão fluvial, pelas águas do Rio Potengi, até a Pedra do Rosário. Conforme notícia da Tribuna do Norte cerca de 15 mil pessoas participaram da Santa Missa celebrada às 5 horas, presidida pelo pároco da Paróquia de Nossa Senhora da Apresentação, Padre Flávio Herculano.

Em texto de autoria do professor e historiador Itamar de Souza, publicado no Fascículo "Nova história de Natal" - Diário de Natal-, lê-se que a história da Padroeira de Natal, Nossa Senhora da Apresentação, baseia-se na tradição oral.

“Conta a tradição que na manhã de 21 de novembro de 1753, pescadores encontraram na margem direita do Rio Potengi, na confrontação da Igreja do Rosário, um caixote que estava encalhado numa pedra. Quando abriram-no, encontraram uma imagem da mãe de Jesus com um menino no colo”.

“Em 1990, escrevemos, de Brasília, uma carta ao monsenhor Severino Bezerra, chanceler da Cúria e historiador da Arquidiocese de Natal, fazendo-lhe algumas indagações sobre o orago de Natal – continua o texto-. Na sua carta resposta, ele nos fez a seguinte revelação: "Em 29 de março de 1718, antes da chegada de Nossa Senhora da Apresentação, num inventário por morte de Joana de Barros, em Goianinha, entre as dívidas deixadas pela falecida está: esmola de 5.000 (cinco mil) réis à Nossa Senhora da Apresentação. Só 35 anos depois foi o encontro da imagem" (Carta datada de 20 de maio de 1900)”.

“Corrobora esta revelação o que Frei Agostinho de Santa Maria escreveu num livro publicado, em Lisboa, em 1722, citado pelo historiador Luís da Câmara Cascudo: "Na capela-mor daquela matriz se colocou pouco depois um grande e famoso quadro de pintura, em que se vê o mesmo mistério da Senhora historiado... A sua festividade se lhe celebra em 21 de novembro, que é o dia em que a Senhora foi oferecida ao Senhor da Glória". (1980:122).”

O texto explica também que “a referida imagem tinha uma mão estendida, aparentando sustentar alguma coisa. Logo, deduziram que fosse um rosário. Avisado sobre a novidade daquela descoberta, o vigário da Paróquia, Pe. Manoel Correia Gomes pressuroso, dirigiu-se ao local e, incontinenti, conduziu o vulto para a Matriz, ciente de que se tratava de um ícone de Nossa Senhora do Rosário”.

Entretanto, como 21 de novembro é, no calendário litúrgico da Igreja Católica, o dia em que se festeja a apresentação da Mãe de Jesus no Templo, deram à imagem que apareceu no Rio Potengi o nome de Nossa Senhora da Apresentação.

(MEM)